- DestaquesNOTÍCIAS

Bolsonaro sanciona piso da enfermagem; reajuste automático foi vetado

Após intensas discussões nos bastidores do governo, o presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quinta-feira (4) o Projeto de Lei (PL) 2564/20 que cria o piso nacional da enfermagem. Segundo Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, por razões de constitucionalidade, o presidente vetou um dos artigos do PL, que determinava o reajuste anual do novo piso com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), um dos indicadores de inflação.

A lei sancionada estabelece piso salarial que varia de R$ 2.375,00 a R$ 4.750,00 para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras. Os novos pisos ficam assim: 

  • Enfermeiros: R$ 4.750,00
  • Técnicos de enfermagem: R$ 3.325,00
  • Auxiliares de enfermagem: R$ 2.375,00
  • Parteiras: R$ 2.375,00

Para dar segurança jurídica, o Congresso  Nacional promulgou antes uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para liberar o governo a propor a criação do piso. O impacto fiscal estimado é de R$ 16 bilhões.

A assinatura da lei, feita no último dia do prazo de sanção, ocorreu em cerimônia no Palácio do Planalto na presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). A primeira-dama Michelle Bolsonaro também compareceu, assim como representantes dos enfermeiros.

De acordo com a presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Betânia Maria Pereira dos Santos, mais de 80% da categoria recebe valores inferiores ao novo piso, que agora é lei. 

— Existe uma precariedade infinita com relação a salários da enfermagem. Agora, pela lei, vamos ter um piso, é o mínimo — afirmou, após a cerimônia.   

Bolsonaro não discursou na solenidade, que foi encerrada antes do previsto após enfermeiros se levantarem das cadeiras em comemoração que não pôde ser controlada pela equipe do Planalto. Os pedidos ao microfone para que todos tomassem seus assentos foram ignorados.

Fonte: GZH

Notícias relacionadas

Marcar também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios