- DestaquesVARIEDADES

É de cair os butiá do bolso

Preços, momento político e sociedade são alguns dos temas abordados na crônica de Marcio Trojahn

A expressão usada comumente pelos gaúchos, me pergunto se não será pelos pedritenses, é usada sempre que algo inusitado, que não era esperado, por assim dizer, acontece e deixa o “vivente” frustrado, literalmente sem reação, decepcionado. Pode ser quando algo que era tomado como uma verdade absoluta por alguém é escancarado aos seus olhos a ponto de não haver dúvida, por exemplo. Diesel mais caro que a gasolina é uma dessas coisas. Quem em sã consciência imaginaria um dia, no pior dos cenários, chegar a um posto de combustíveis e se deparar com esses preços?

Ir ao supermercado e fazer as compras do mês, será que alguém ainda o faz? Bom isso também é de cair os butiá do bolso, de ficar sem reação e no final levar a metade do que se pretendia ou pagar o dobro do que se esperava. Com os salários perdendo a cada dia o poder de compra, vivemos tempos difíceis e quem já era mais “taludinho” nas décadas de 1980/1990 sabe do que estou falando.

A situação política do país não é diferente, e aqui falo de modo geral, sem apontar este ou aquele governo, tampouco direita ou esquerda, se é que essa divisão existe realmente. Digo em termos gerais que o problema político do país, não é a política em si, mas sim os políticos, que em última análise são pessoas eleitas democraticamente. Então me parece que o problema não é o Brasil, mas sim os brasileiros.

Quando partidários do atual governo veem seus ministros sendo presos; quando evangélicos se deparam com pastores aos quais assistiam pregações, agora enjaulados, a reação não pode ser outra senão a de proferir a velha expressão regionalista: “é de cair os butiá do bolso”.

Onde é que isso tudo vai dar? Se alguém souber, responda.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios