- DestaquesVARIEDADES

Dom Pedrito segue com altos índices de contaminações, internações e mortes por Covid-19

Mesmo com vacinação avançando, município segue na contramão do RS que já apresentou pequena queda no número de internações em UTIs

Pela primeira vez em meses o Rio Grande do Sul registrou uma leve diminuição na pressão sobre o sistema hospitalar. O número de internados em UTIs registrou uma queda na média de internações, talvez um reflexo das medidas mais duras adotadas pelo governador Eduardo Leite que, embora não agrade igualmente gregos e troianos, mostra que mesmo não sendo um lockdown na verdadeira acepção da palavra, conseguiu-se frear um pouco o avanço do vírus.

Na contramão dessa tendência, Dom Pedrito continua com índices extremamente preocupantes no que tange ao número de contaminados ativos, com novos casos sendo confirmados diariamente. É certo que o montante de pessoas que se recupera é bastante alto também, e isso é muito bom, mas o que preocupa é que os que precisam de internações, tanto jovens, quanto os mais velhos, evoluem para quadros muito complicados e não raro morrem em um leito de UTI, e o que é mais trágico, aguardando por um.

A UTI – Unidade de Tratamento Intensivo da Santa Casa de Caridade Dom Pedrito está constantemente com seus dez leitos ocupados, isto porque quando um fica vago, na maioria das vezes por conta de um óbito, outro paciente já aguarda para ocupá-lo, dando pouco tempo para os profissionais fazerem a higienização necessária.

Os 22 leitos disponíveis na área de isolamento, também estão quase sempre com sua ocupação no limite. São pacientes que por sua condição de contaminados precisam de tratamento específico, ou lá permanecem porque a UTI está lotada.

Há, ainda, os pacientes que ingressam no Pronto Socorro com quadros avançados da doença e lá ficam nos leitos de isolamento até que um leito clínico apareça.

O cenário é esse -vacinação avançando a passos lentos e pouco engajamento da população em relação às recomendações de saúde. Que Deus ilumine os governantes, os profissionais de saúde e a comunidade em geral.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios