- DestaquesNOTÍCIAS

Mais três casos de estelionato são registrados na delegacia

Falso bilhete premiado acabou lesando a vítima em mais de 2 mil reais

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Nas últimas semanas, muitos são os casos de estelionato que divulgamos por aqui. Esse tipo de crime segue acontecendo e são cada vez mais comuns, cabe à população estar sempre atenta em situações atípicas. Na Delegacia de Polícia de Dom Pedrito mais três situações semelhantes foram registradas.

No primeiro caso, uma pessoa pesquisava em um site de aluguel de imóveis um apartamento para locar na praia de Itapema, Santa Catarina, para aproveitar uns dias de folga. Ao encontrar o, até então, local perfeito, perto da praia e com preço acessível, entrou em contato pelo Whatsapp com o locatário e realizou o pagamento de R$ 500,00 para o mesmo, que desapareceu logo após.

Em outro caso, a vítima contou aos policiais que uma pessoa entrou em contato com ela via Whatsapp dizendo: “consegue me passar aquele dinheiro hoje?” e continua “esqueci de avisar, troquei o número”. Pela proximidade da data, ele pensou se tratar do pagamento do aluguel. Ele acabou depositando o valor de R$ 500,00 e acabou descobrindo depois que se era um golpe.

No último caso, um pouco mais incomum, a vítima disse ter encontrado uma pessoa em frente a Caixa Econômica Federal que teria ganhado um prêmio de loteria e estaria em contato pelo telefone com uma atendente da Caixa, mas que precisava abrir uma conta para receber o valor e para isso também necessitava de duas testemunhas que não estivessem com a conta negativada e que apresentassem uma quantia em espécie.

A vítima contou que realizou o saque de R$ 2.250,00 e entregou para o “ganhador” e seu “ajudante”, que também entregou o montante de R$ 5.000,00. Após isso, o indivíduo mencionou que não ficaria com o dinheiro, que seria colocado no porta-malas do carro do outro homem.

Ele acompanhou o segundo indivíduo até a Caixa para realizar o saque do prêmio. Quando chegaram ao local, o golpista solicitou a vitima para pegar o bilhete premiado com o outro envolvido. Ele deixou a agência, procurou pelo carro e não encontrou e quando voltou ao banco o outro indivíduo também não estava mais.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios