- DestaquesNOTÍCIAS

RS tem uma região em bandeira vermelha no mapa preliminar

As demais estão sob cor laranja, de risco médio

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

O mapa preliminar do modelo de distanciamento controlado do Estado, divulgado nesta sexta-feira (30), traz apenas uma localidade gaúcha em bandeira vermelha — novamente na macrorregião Missioneira. Desta vez, a região covid classificada como de alto risco epidemiológico para o coronavírus é Santa Rosa. As demais 20 regiões do mapa permanecem em bandeira laranja, de risco médio.

Assim, são 22 municípios gaúchos (do total de 497) classificados na cor vermelha, somando 236.497 habitantes, o que corresponde a 2,1% da população do RS — cujo total de habitantes é de 11,3 milhões.

O mapa definitivo da próxima semana será divulgada na segunda-feira (2), e valerá entre terça (3) e segunda-feira (9).

As 20 outras regiões em bandeira laranja são Porto Alegre, Cruz Alta, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa, Taquara, Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Guaíba, Lajeado, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Erechim, Uruguaiana, Bagé, Cachoeira do Sul, Palmeira das Missões, Santo Ângelo e Ijuí.

De acordo com o governo do Estado, a região de Santa Rosa registrou, ao longo da última semana, 19 hospitalizações de pacientes com covid-19 — nos sete dias anteriores, foram cinco casos. Na quinta-feira (29), quando foi feito o levantamento dos dados, eram 10 pacientes em leitos clínicos pela doença — na quinta-feira anterior (22), eram três. A região ainda teve redução de 20 para 18 leitos de UTI livres de uma semana para outra.

No mapa definitivo desta semana, apenas a região de Cruz Alta, que também integra a macrorregião Missioneira, estava na cor vermelha. Conformo o Estado, a localidade conseguiu reduzir os registros de hospitalização por covid-19 entre uma semana e outra. No acumulado dos últimos sete dias, a região teve 14 registros, quando antes somou 26 casos. A região também apresentou ligeira melhora no indicador que mede a capacidade de atendimento para os casos que exigem tratamento intensivo. O número de leitos de UTI livres aumentou de seis unidades no levantamento anterior para 10 nesta semana.

RS teve queda em registros de novas hospitalizações, diz governo

Conforme o Executivo, em todo o Estado, foi observada a redução dos registros de novas hospitalizações (queda de 7%), embora o número de internados em leitos clínicos confirmados com covid-19 se mantenha em elevação (aumento de 5%). O número de internados em UTI, por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e confirmados com covid-19, também teve aumento na semana.

Mesmo contabilizando os pacientes internados por outras causas, houve queda na quantidade de leitos de UTI ocupados. Com isso, houve leve redução na razão de leitos livres para cada ocupado por covid-19.

No entanto, a equipe de monitoramento do Comitê de Dados do governo chamou atenção para o elevado crescimento de novos registros de hospitalizações por covid-19 nos últimos sete dias nas regiões de Santa Rosa, Ijuí, Capão da Canoa, Palmeira das Missões, Taquara, Caxias do Sul e Passo Fundo.

18 localidades atuam sob cogestão

Das 21 regiões covid no Estado, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do distanciamento controlado. As outras 18 adotam protocolos alternativos às bandeiras definidas pelo governo – Santa Maria, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, desde que enviem protocolos próprios adaptados para aprovação do governo do Estado.

Os municípios que não concordarem com a definição do mapa preliminar podem enviar pedidos de reconsideração ao governo. Após analisar os pedidos, o mapa definitivo será divulgado.

Fonte: GaúchaZH

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios