NOTÍCIAS

Pela primeira vez em mais de três meses, nenhuma região do RS está em bandeira vermelha no mapa preliminar

Diretrizes do distanciamento controlado para a próxima semana serão publicadas em definitivo na segunda-feira

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Pela primeira vez desde o início de junho, nenhuma região do Rio Grande do Sul está em bandeira vermelha no mapa preliminar do distanciamento controlado, divulgado no final da tarde desta sexta-feira (25) pelo governo do Estado. As 21 regiões gaúchas ficaram em bandeira laranja.

Isso significa que, de acordo com o Palácio Piratini, o risco de contágio para coronavírus é médio em todas as áreas gaúchas. O mapa foi divulgado pelo governador Eduardo Leite em transmissão ao vivo nas redes sociais.

A classificação vale entre a próxima terça-feira (29) e segunda (5). O mapa foi divulgado pelo governador Eduardo Leite em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Até o momento, o cenário de um mapa totalmente alaranjado ainda não havia se apresentado no Estado. A última vez que o RS registrou bandeira amarela, de risco baixo, foi entre os dias 30 de junho e 6 de julho, com duas regiões nessa cor. Desde então, o mapa oscilava entre bandeiras vermelhas e laranja.

Conforme o governo, em todo o Estado, foi observada melhora em todos os indicadores, em especial nas novas hospitalizações (-25%) e em óbitos (-19%). Com isso, ficaram mais leitos livres. Mesmo com o aumento dos pacientes internados por outros motivos, a queda do número de internados por Covid-19 e a abertura de novos leitos se traduziu em elevação na razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19.

A equipe que monitora o modelo destacou, no entanto, que é preciso observar o “elevado crescimento de novos registros de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias” nas regiões de Santa Maria e Bagé. Em Santa Maria, o aumento foi de 61,8% (de 34 para 55 casos), e em Bagé, de 50% (de oito para 12 casos).

Fonte: Gaúcha ZH.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios