NOTÍCIAS

5 milhões de beneficiários do Bolsa Família deixarão de receber o auxílio emergencial

Segundo o Ministério da Cidadania, essas pessoas deixaram de cumprir os requisitos para o recebimento e retomaram o benefício do programa

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Com a mudança do valor das parcelas, 4,9 millhões de beneficiários do Bolsa Família deixaram de receber a extensão do auxílio emergencial de R$ 300 em quatro parcelas até dezembro. Dos 19,2 milhões de inscritos pelo programa em abril, 16,3 milhões vão continuar a ganhar o auxílio.

Segundo o Ministério da Cidadania, a diferença é “decorrente dos cancelamentos e bloqueios realizados em benefícios com indícios de descumprimento dos critérios legais de elegibilidade por recomendação da Controladoria-Geral da União (CGU)”.

Um dos requesitos prevê que, no caso de o benefício do programa ser maior que a nova parcela do auxílio, a pessoa deve escolher pelo mais vantajoso. “O público do Bolsa Família agora retorna para a folha usual do programa, com a diferença que estamos pagando o complemento até chegar aos R$ 300 ou aos R$ 600”, explica Fabiana Rodopoulos, secretária nacional de Renda de Cidadania do Ministério da Cidadania.

Segundo Fabiana, nas cinco primeiras parcelas do auxílio emergencial, o benefício do Bolsa Família foi suspenso e todas as famílias elegíveis passaram a receber o auxílio, desde que fosse mais vantajoso para elas. “A partir deste mês, as famílias beneficiárias que não tenham mais nenhum integrante recebendo o benefício de R$ 600 voltarão a ter o Bolsa Família, somado à extensão do auxílio emergencial para se chegar à cota simples ou dupla”, afirma.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios