- DestaquesNOTÍCIAS

Prefeitos da região defendem que retomada das aulas não ocorra este ano

Secretário da Educação de Dom Pedrito representou o município na reunião online e também defendeu que o retorno só ocorra em 2021

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

A Federação das Associações de Municípios (Famurs) e o governo do Estado se reuniram, ontem, para tratar, mais uma vez, sobre o retorno das aulas presenciais. Depois do encontro, o secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles, informou que o Estado mantém a proposta de retomada do ensino público e privado de forma gradual e escalonada, mas estabelecerá novo prazo, ainda não definido, a partir de setembro, e não mais em 31 de agosto.

A nova data será definida pelo governador Eduardo Leite amanhã, em reunião com o colegiado do Executivo. “A retomada ficará, provavelmente, para a primeira quinzena de setembro, nos últimos dias do inverno”, disse Meirelles. As atividades nas escolas estão suspensas desde 19 de março, em razão da pandemia. O secretário reforçou, no encontro, que o calendário do retorno das aulas presenciais pelo Estado é facultativo e a decisão final cabe, pela ordem, aos municípios e aos pais responsáveis pelas crianças. “O calendário também é flexível e somente poderá haver a retomada das aulas presenciais em regiões com as bandeiras laranja e amarela”, destacou Meirelles.

Em uma pesquisa realizada pela Famurs, 96% dos prefeitos afirmaram que não eram favoráveis ao retorno das atividades no último dia do mês de agosto. Uma nova reunião com prefeitos será realizada no dia 1º de setembro. À reportagem, ontem à tarde, o prefeito de Candiota, Adriano dos Santos, enfatizou que é contrário ao retorno. Além da questão da preservação da vida, o prefeito disse entender que já não haverá ganho de conteúdo este ano. Caso o Estado insista na retomada, Santos irá consultar os pais, mas ponderou acreditar que a maioria é contrária ao retorno.

Ele mencionou que, há cerca de duas semanas, representantes de pais pediram que as visitas para entrega de materiais para as aulas fossem suspensas a fim de evitar uma contaminação. O prefeito ainda pontuou que muitas crianças e jovens estão preocupados com a situação imposta pelo novo coronavírus, abalados por situações como o fato de não poderem visitar avós e avôs ou, ainda, se filhos de enfermeiros e médicos, não conviverem com a mesma intensidade com seus pais. Ele questionou: “Não podem abraçar avôs e avós, mas podem voltar às aulas e brincar com os coleguinhas?”.

O prefeito de Lavras do Sul, Sávio Prestes, comentou que ocorreu uma reunião com quatro dos sete municípios da região, ontem à tarde. Ele informou que, de forma preliminar e extraoficial, – porque serão consultados os demais municípios, que não estavam na reunião – o posicionamento é de que as aulas ocorram a distância até o final do ano. Ou seja, que as aulas não retornem de forma presencial em 2020. Ele oficializou que este é o posicionamento de Lavras do Sul. Segundo Prestes, participaram da reunião os municípios de Lavras do Sul, Aceguá, Dom Pedrito e Bagé.

O prefeito Divaldo Lara, à reportagem, informou que a decisão final será divulgada hoje. Inclusive, o chefe do Executivo local deve fazer o anúncio por meio de uma coletiva de imprensa. Ele pontuou que ainda faltavam as decisões dos conselhos, como o de Operações Especiais. É importante destacar que, em outra oportunidade, Lara já havia enfatizado: “Não vamos retornar sem segurança total”. O prefeito de Aceguá, Gerhard Martens, também chegou a se manifestar sobre o tema: “Não é o momento de voltar às aulas presencialmente”.

Fonte: Folha do Sul

Na tarde desta quarta-feira (26), nossa reportagem entrou em contato com o secretário de Educação, Marco Antônio Rodrigues. Ele nos disse, que “nossa posição é a mesma dos demais representantes, pois não temos a mínima condição de retornarmos este ano”, acrescentando que dos quatro participantes da reunião de ontem, todos concordaram que a volta só ocorra em 2021. Ainda segundo o secretário, o prefeito Divaldo Lara, irá consultar os demais municípios, mas que a unanimidade sobre o assunto deverá ser a mesma.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios