- DestaquesNOTÍCIAS

Mulher denuncia a própria Polícia Civil após cumprimento de mandado em sua casa

Operação policial foi realizada na manhã de 10 de agosto. O fato também foi denunciado ao Ministério Público

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Um fato atípico, termo que aparece no próprio Boletim de Ocorrência, foi registrado na Delegacia de Polícia de Dom Pedrito. Ele diz respeito a uma denúncia em que Herotildes Carvalho Rodrigues, moradora da Rua Borges de Medeiros, faz contra a própria Polícia Civil, que na manhã do dia 10 de agosto, cumpriu um mandado de busca e apreensão em sua residência, uma das cinco que foram vistoriadas naquela manhã.

Segundo seu relato, na referida data, às 6h45min, ela teve a sua residência invadida pelos policiais civis que armados, cumpriam um mandado de busca e apreensão. Após arrombarem a porta e gritarem “Polícia, polícia”, mandaram que ela permanecesse em silêncio enquanto eram feitas buscas na casa. Segundo ela, os policiais disseram que procuravam um indivíduo de nome “Tiago”, ao que ela referiu desconhecer essa pessoa. Ela disse, ainda, que durante as buscas não foi apresentado o mandado de busca e apreensão e que a porta da frente da casa ficou totalmente danificada tendo um prejuízo de R$ 800,00. A ação policial foi acompanhada pela equipe de reportagem da Qwerty Portal de Notícias.

Denúncia no MP

O mesmo fato foi denunciado ao Ministério Público, acrescido do fato de não ter sido encontrado nada em sua casa que a ligasse ao indivíduo procurado, como drogas, por exemplo. Durante as buscas, foi apreendido um revólver de propriedade de seu companheiro, por não possuir registro. No relato feito ao MP, consta que ela precisou de atendimento médico devido a “pressão psicológica” que sofreu dos policiais, onde teria sido levada de ambulância para o Pronto Socorro local.

 

Como Herotildes vê a questão

Em relato enviado à nossa reportagem, Herotildes manifestou o seu descontentamento com a ação:

“…Tudo bem que eles tem que fazer o trabalho deles, mas se de fato tivessem feito investigação eles estariam sabendo de que ali não mora e nem para nenhum tal de Tiago. E de que não podiam chegar quebrando a casa de duas pessoas idosas, uma com 59 anos que já fez ponte safena e não pode levar susto, e um idoso de 78 anos que recém se recuperou de um câncer. Se tivesse acontecido alguma coisa com um deles, a vida deles não iria voltar. E o pior, por culpa de uma pessoa que eles nunca viram na vida…”

O que diz a polícia

O Delegado André de Matos Mendes, que responde pela delegacia de polícia de Dom Pedrito, reiterou que na casa onde os policiais ingressaram, com autorização judicial, no curso de investigação policial, foi encontrado um revólver sem registro e em situação de furto, sendo que o esposo desta mulher responderá pelos crimes de receptação e posse irregular de arma de fogo de uso permitido.

Notícias relacionadas

Marcar também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios