NOTÍCIAS

Oito empresas já foram autuadas em Bagé por descumprimento de normas de segurança

Em uma delas, a penalidade foi aplicada na quinta-feira, primeiro dia da retomada

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Desde a retomada das atividades em horário parcial do comércio até a manhã de segunda-feira, dia 20, a Vigilância em Saúde já aplicou oito autuações em empresas de Bagé. Em uma delas, a penalidade foi aplicada na quinta-feira, primeiro dia da retomada.

Outras quatro foram realizadas no sábado e, na manhã de segunda-feira, mais três foram autuadas. Conforme explica o coordenador da Vigilância em Saúde, Geraldo Gomes, as principais motivações para aplicações de autuações são aglomeração de pessoas, abertura do comércio fora do horário estipulado no decreto 059/2020, das 13h às 18h30min, e circulação de pessoas sem máscaras no interior das empresas.

“As empresas não são obrigadas a fornecer máscaras para os clientes, apenas para funcionários, mas algumas já estão fazendo para evitar autuações neste sentido”, explica. Gomes explica que, em um primeiro momento, a empresa é autuada por descumprimento.

A partir disso, a loja tem 15 dias para entregar a defesa que, caso não seja aceita, pode motivar a aplicação de multa, que varia de 1 a 50 URP (Unidade de Referência Padrão). Cada URP tem valor estipulado de R$ 972. Ou seja, as multas podem chegar a quase R$ 50 mil. Em caso de reincidência, o comércio pode receber interdição cautelar e fechar as portas.

As medidas de segurança e restrição se aplicam tanto para lojas de vestuário, serviços, eletrônicos e móveis quanto para empresas voltadas ao ramo da alimentação, como mercados e padarias. O coordenador da Vigilância em Saúde adianta, ainda, que em virtude do grande número de pessoas circulando pelas ruas, o próximo decreto municipal poderá conter um artigo proibindo a circulação de pessoas nas ruas sem máscara.

A partir disso, está sendo estudada possíveis formas de autuação e penalidades para quem descumprir o decreto. A equipe de fiscalização coordenada por Gomes é composta por 70 pessoas, sendo 30 fiscais da Vigilância Sanitária e 40 servidores da Prefeitura que atuam na conscientização e instrução dos clientes.

Fonte: Jornal Minuano
 

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios