- DestaquesNOTÍCIAS

Na Itália pedritense fala sobre como tem sido os dias de quarentena por conta do COVID-19

Roseli Grudsinske Smiderle está em Bergamo na Itália e relata como está a situação naquele país

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Mais um pedritense conta como está a situação do COVID-19 na Europa. Desta vez nosso contato foi com Roseli Grudsinske Smiderle, que está em Bergamo na Itália. A Defesa Civil daquele país anunciou ontem (17), que o número de mortos em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) subiu para 2.503, um aumento de 345 vítimas em 24 horas. De acordo com o chefe da Proteção Civil da Itália, Angelo Borrelli, a quantidade de pessoas contaminadas aumentou mais 2.989, totalizando 26.062 casos ativos de infecções.

– Roseli Smiderle, pode nos passar alguns dados do Coronavirus aí na Itália ?

Neste momento não sabemos números. Mas posso falar do que estamos vivenciando aqui.

– Você acha que o vírus foi de alguma forma subestimado ?

Sim. E provávelmente foi isso que acarretou esta ampla contaminação aqui na Itália.

– Sobre o anúncio da quarentena, houve alguma corrida ou pânico por suprimentos por aí ?

Logo que foi feito o anúncio da quarentena sim, e até houve desabastecimento de alguns itens. Agora as pessoas estão mais conscientes e estão indo ao mercado só quando necessário, e o abastecimento normalizou

– Como é estar em casa, morando numa cidade como Bergamo ?

Está sendo um momento de aproveitar o convívio com nossa filha e sua família. Mas, por outro lado, as restrições nos impedem de realizar passeios e ir a restaurantes degustar a culinária italiana, ir à lojas e apreciar os pontos turísticos da cidade.

– O que as autoridades estão fazendo para enfrentar a situação ?

Estabeleceram a zona vermelha nas regiões mais afetadas e através de um decreto foi restringida a circulação, sendo permitida somente em casos de urgência e extrema necessidade. Quem descumpre o decreto, pode ser penalizado com multas e até prisão.

– Você acha que as pessoas estão mais protegidas ficando em casa ?

Com certeza, já que o contágio é muito fácil.

– Além das perdas humanas, já é possível mensurar os prejuízos financeiros decorrentes de uma crise como essa ?

O governo italiano está liberando recursos para amenizar o impacto. Mas certamente haverá um grande prejuízo financeiro, que só não será maior que a dor da perda dos entes queridos, das milhares de famílias atingidas.

– Tem acompanhado a situação do Brasil ? O que acha das medidas tomadas até agora para combater e prevenir a contaminação no país ?

Não tenho acompanhado muito, mas acredito que devam ser tomadas todas as medidas de prevenção e restrição, com seriedade e responsabilidade, para evitar que a doença se alastre.

– O que você diria para os brasileiros, especialmente seus conterrâneos, sobre tudo que está vivendo e que ensinamentos se pode tirar disso tudo ?

Em primeiro lugar cumprir todas as normas estabelecidas pelas autoridades competentes. Depois, ter responsabilidade social, lembrando que, além do cuidado individual, devo cuidar do outro tb, por isso respeitar a quarentena e evitar aglomerações. O ensinamento que podemos tirar é que por viver em sociedade, tudo o que fizermos reflete no outro. O momento serve para pensar o que realmente é importante, eliminar em nós o egoísmo e a vaidade, pois somos todos iguais no momento de pandemia. Ser mais solidários uns com os outros.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios