- DestaquesNOTÍCIAS

ESTELIONATO – O falso policial, cobrança da financeira, convite para o programa de TV

Casos de estelionato se acumulam na Delegacia de Polícia de Dom Pedrito

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Os golpes são há muito tempo uma modalidade em que os criminosos se valem, ora de um talento nato para praticar a pilantragem, ora de oportunidades que se apresentam. Com vítimas escolhidas ou aleatórias, os tipos são dos mais variados, desde o velho conhecido bilhete premiado até a recente clonagem de WhatsApp. Nesta segunda-feira (27), até a publicação desta matéria, três casos de estelionato haviam sido registrados na delegacia local.

O falso policial

No primeiro caso, a vítima relatou ter sido contatada por um indivíduo que se identificou como sendo policial civil. O golpista sabia inclusive, o seu CPF. A vítima achou realmente se tratar de um golpe e desligou o telefone. O golpista, então, manda mensagem pela WhatsApp com ameaças. O golpista sabia, também, onde a vítima teria trabalhado no passado. Sua esposa também foi chamada através de seu perfil no Facebook.

Cobrança da financeira

Neste caso, a vítima relatou ter sido procurada por uma financeira através do WhatsApp. No diálogo, ele teria sido informado que possuía uma dívida com a empresa em função de uma compra realizada em 2019 na loja Magazine Luiza. Ele desconfiou e ligou para a loja, constatando que realmente havia esta dívida e que ela foi feita em uma loja física em Goiânia – GO. Ele ligou mais uma vez para a loja, mas teriam se negado a fornecer mais informações. O detalhe é que a vítima nunca esteve em Goiânia.

Convite para o programa de TV

Neste caso, a vítima contou que pela parte da manhã recebeu uma ligação de um número de São Paulo. A vítima, que é um atleta, foi informada pela pessoa do outro lado da linha, que diante de sua história de vida, gostaria que ele participasse de um documentário no Programa Encontro com Fátima Bernardes. A vítima se interessou num primeiro momento. Os golpistas, então, disseram que iriam mandar um link pelo Instagram. Ele pensou que poderia ser verdade, uma vez que ele compete em provas oficiais. Ele foi solicitado a mandar, também, o seu e-mail. A partir daí, o seu WhatsApp não funcionou mais. Ao chegar em casa, um vizinho já perguntou se ele estava precisando de dinheiro, porque tinha recebido o pedido de um empréstimo. E a cena começou a se repetir com vários dos seus contatos.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios