- DestaquesNOTÍCIAS

Guarda municipal em Dom Pedrito – autoridades falam sobre o tema

Prefeito Mario Augusto, vereador Sergio Roberto e os policiais Patrício Antunes e Lauro Telles dizem o que pensam sobre o assunto

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

O tema surgiu recentemente como uma possível solução ou ferramenta de combate à criminalidade. Uma dos itens constantes no Plano de Governo do prefeito Mario Augusto, essa possibilidade vem a tona novamente, depois dos últimos fatos registrados em Dom Pedrito, onde a violência tem se sobressaído cada vez mais.

  Inspetor Lauro Telles

Policial civil há vários anos atuando em Dom Pedrito, profundo conhecedor do tema “segurança”, Telles disse que a criação de uma guarda municipal tem o total apoio da Polícia Civil de Dom Pedrito. Segundo ele, essa modalidade atenderia sim, os anseios locais na área de segurança, uma vez que uma guarda municipal bem organizada e treinada, poderia reforçar o policiamento no centro da cidade, em frente a órgãos públicos, no entorno da praça central, prefeitura e escolas, por exemplo. Estas últimas, locais sabidamente frequentados por traficantes. Só a presença desses agentes da lei causaria um fator dissuasivo na prática de crimes e iria liberar a Brigada Militar para atuar em outras ocorrências que hoje, com o pequeno efetivo e a carga de trabalho, não é possível. Custos – Perguntado sobre os custos da implantação de tal medida, Lauro afirma que não são tão grandes assim. É claro que de início existe o investimento em viaturas, equipamentos, uniformes, porém, são custos que com o tempo tendem a se diluir. Origem do recurso – Telles, enquanto munícipe que também é, afirma que com vontade política, poderia se enxugar a máquina pública e daí sobrariam recursos para a implantação da guarda municipal. O policial concorda que só a criação da guarda municipal não resolve o problema da criminalidade, mas certamente auxiliaria no controle da segurança.

  Inspetor Patrício Antunes

Policial civil atualmente lotado na Decrab de Bagé, Patrício também conversou com nossa reportagem. Ele é acorde que a viabilidade de uma guarda municipal em Dom Pedrito poderia auxiliar no setor da segurança pública. O policial entende que é necessário um estudo sobre o impacto que a implantação de uma guarda desse tipo traria aos cofres municipais, porém, o crescente aumento da criminalidade, que em última análise é fruto também do aumento do tráfico de drogas, faz com que a criação dessa guarda venha a ser uma forma objetiva e rápida do município agir em prol da segurança pública. Patrício afirma que essa medida seria a melhor forma de melhorar a segurança na cidade, uma vez que o Estado, em extremas dificuldades orçamentárias, não conseguirá em curto prazo dar a resposta que Dom Pedrito espera. Assim como Telles, Patrício diz que a presença dessa guarda, atuando também no controle do trânsito e com poder de polícia dentro da circunscrição municipal traria um incremento no efetivo local e permitiria que a Brigada Militar e a Polícia Civil pudessem se dedicar a outras ações. Viajando a serviço da Decrab, Patrício conta que teve a oportunidade de conhecer diversas guardas municipais, como em Uruguaiana, Gravataí, Santa Cruz do Sul, inclusive Bagé quem vem trabalhando na criação de sua guarda, todas com resultados muito bons.

  Vereador Sergio Roberto Vieira

Advogado, vereador e radialista, onde atuou por muitos anos como repórter policial, Sergio Roberto, que também teve a iniciativa do “Grito de Dom Pedrito”, evento que acontece amanhã (15), falou sobre o que pensa a respeito do tema: “Acredito na guarda municipal, mesmo porque fui autor do dispositivo da Lei Orgânica Municipal que possibilita sua criação. Viável é, mas é cara e difícil, pois envolve armamento, viaturas, uniforme e gente treinada. Sem dúvida, contribuiria na redução da criminalidade, mas não seria “a solução”, pois se trata de uma corporação com poderes limitados, e, pelo que se sabe, é preciso muito controle para que se mantenha ativa e eficiente. Há notícias de cidades onde o pessoal, por ser funcionário público, se acomoda e passa a se esconder e fazer que não vê o que está acontecendo para não se incomodar, já que são servidores municipais e não policiais. Funcionar até funciona, desde que comandada e dirigida com mão de ferro, e isso é muito difícil”. Sergio falou que se deve apostar na responsabilidade que o Estado tem sobre a segurança pública dos municípios, embora a guarda municipal funcione como um reforço

  Prefeito Mario Augusto

O prefeito Mário Augusto, acorda com as opiniões favoráveis à implantação de uma guarda municipal armada em Dom Pedrito, inclusive o item consta no seu plano de governo, como um braço auxiliar no setor da segurança pública. A atual gestão já fez levantamentos a respeito de custos de implantação e manutenção, “hoje não temos recurso público disponível para a implantação”. O crescente aumento da criminalidade nos preocupa muito e, por isso, temos tentado das mais diversas maneiras sensibilizar o Estado para que cumpra o seu papel na segurança pública. “Sabemos de resultados positivos de guardas municipais em outras cidades, por isso, não descartamos a tentativa de viabilidade futura. Foi uma alternativa que levantamos na elaboração do programa de governo da nossa gestão. Embora, precisamos reconhecer, se trate de mais uma transferência de obrigação da união e do estado ao Município, mas não podemos deixar a comunidade desamparada”, enfatiza.

Notícias relacionadas

Marcar também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios