NOTÍCIAS

Força Tarefa da Polícia Civil desarticula a 27ª quadrilha de abigeatários do Rio Grande do Sul

Com a ação de hoje (28) em Barra do Ribeiro equipe já recuperou mais de 950 animais bovinos oriundos de abigeato

A Polícia Civil, através da Força Tarefa de Combate aos Crimes Rurais e Abigeato, sob a coordenação dos delegados Cristiano Ritta e André de Matos Mendes, deflagrou na manhã de hoje (28) a operação denominada “Ponta da Lagoa”, que tem por objetivo desarticular uma organização criminosa sediada no município de Barra do Ribeiro, especializada em crimes de abigeato, assaltos a propriedades rurais e comércio ilegal de armas de fogo.

A operação, organizada pelo Departamento de Polícia do Interior (DPI), com apoio das delegacias regionais de Camaquã, Pelotas, Santa Cruz do Sul e São Gerônimo, contou com a participação de 90 policiais civis entre agentes e delegados. Além do município de Barra do Ribeiro, também equipes da Polícia Civil realizaram diligências nos municípios de Morro Redondo e Caçapava do Sul onde, conforme os policiais, existem células da organização.

O bando criminoso começou a ser investigado pela Força Tarefa de Combate aos Crimes Rurais e Abigeato no mês de julho de 2017. De acordo com as investigações, a organização realizava em média quatro furtos abigeato e pelo menos um assalto a propriedade rural por mês. Nos assaltos, os criminosos buscavam por armas e munições que posteriormente eram vendidas a traficantes e abigeatários. O Poder Judiciário de Barra do Ribeiro concedeu 29 medidas judiciais (prisões preventivas e mandados de busca e apreensão) que foram cumpridos pela Polícia Civil.

Uma equipe de reportagem da Qwerty Portal de Notícias se deslocou até a cidade de Barra do Ribeiro para acompanhar a ação policial e, em conversa com o delegado Cristiano Ritta, coordenador da Força Tarefa, ele explicou que o inquérito policial que investiga a organização criminosa está em fase final e as medidas judiciais solicitadas têm por objetivo buscar elementos de convicção necessários para sua conclusão, além de tirar das ruas os quatro líderes do bando, os indivíduos F.E.C, D.B.G, F.J.L e J.O, que tiveram suas prisões decretadas pelo Poder Judiciário.

Segundo o delegado André de Matos Mendes, também coordenador da Força Tarefa, ao término do inquérito policial, que ainda corre em segredo de justiça, no mínimo 20 pessoas serão indiciadas pela Polícia Civil por comporem essa organização criminosa que além de levar terror ao campo já gerou prejuízo milionário aos produtores rurais da região de Barra do Ribeiro.

A operação foi denominada “Ponta da Lagoa” em razão da posição geográfica dos municípios mais atacados pela organização criminosa: Barra do Ribeiro, Tapes e Guaíba. A Polícia Civil acredita que após a conclusão do inquérito policial que originou a operação, ocorra uma significativa diminuição nos casos de abigeato na região. Os agentes também localizaram um terreno onde eram descartados os osso dos animais carneados.

De acordo com o Inspetor Patrício Antunes “o bando gerou prejuízo milionário aos produtores rurais dos municípios de Barra do Ribeiro, Tapes, Guaíba, Camaquã e Mariana Pimentel”. Varias ações foram realizadas durante as investigações, em especial o cumprimento de 29 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão e prisões preventivas. A Polícia Civil acredita que com esse trabalho ocorra uma significativa diminuição dos casos de abigeato nos municípios da região de Barra do Ribeiro.

Vale lembrar, que a Força Tarefa foi instituída com o objetivo de combater os elevados índices de abigeatos e demais crimes rurais praticados contra o homem do campo campo, crimes que geram enorme prejuízo econômico ao Estado. Com seu início efetivo em agosto de 2016, a equipe realizou várias ações com o objetivo de diminuir a criminalidade na zona rural, que não apenas atinge o produtor, mas toda a população gaúcha.

Resultados atingidos nos últimos 18 meses de atuação da Força Tarefa da Polícia Civil no Rio Grande do Sul:

198 prisões de criminosos que atacaram produtores e trabalhadores do campo;
184 inquéritos policiais remetidos ao Poder Judiciário;
27 quadrilhas e organizações criminosas desarticuladas;
984 animais bovinos recuperados em ações da Força Tarefa;
466 animais bovinos restituídos para vítimas de abigeato;
87 armas apreendidas de indivíduos investigados por abigeato;
15 carros roubados/furtados e utilizados por quadrilhas criminosas recuperados e outros 14 apreendidos por estarem sendo utilizados para crimes no campo;
14 caminhões apreendidos, destes 3 eram clonados;
Mais de 18.000 animais bovinos inspecionados em propriedades rurais de indivíduos investigados por abigeato; Mais de 40 toneladas de carne apreendida em investigações da Força Tarefa.

Durante todo este período de atuação, a Força Tarefa de Combate aos Crimes Rurais Abigeato já retirou das mãos de quadrilhas que atacam produtores rurais (entre carros, carne, animais, armas, contêineres, máquinas, caminhões, entre outros), mais de R$ 7.000.000,00 (sete milhões de reais). Valor que deverá ser utilizado para restituir as vítimas.

A equipe de jornalismo da Qwerty Portal de Notícias que acompanhou in loco a operação “Ponta da Lagoa”, conversou com os delegados Cristiano Ritta e Vladimir Urach sobre a ação, que desarticulou mais um grupo criminoso especializado em abigeato, mas que também praticava outros crimes.

Fotos da Operação “Ponta da Lagoa”

 

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios