Marcelo Brum

826 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Polícia Civil encaminha dois menores para o Case de Santa Maria

Na tarde de ontem (25), agentes da Polícia Civil conduziram dois menores para a Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Santa Maria. De acordo com o inspetor Lauro Telles, na última sexta-feira (24), o Judiciário decretou a internação dos dois adolescentes, sendo que um foi preso por participação na ação da última quinta-feira (23), quando ele e outro indivíduo foram de motocicleta até a Vila Argeni, onde pretendiam matar um outro jovem conhecido por “manchinha”.

Chegando lá, eles foram surpreendidos por integrantes da gangue que pertence a vila. Marcos Junior Ferreira Rodrigues, 18 anos, que estava no carona da moto e portando uma arma, acompanhado do adolescente de 15 anos que conduzia o veículo, acabaram sendo derrubados da moto e caindo no chão. O adolescente conseguiu se levantar e fugir no veículo. Já Marcos Júnior correu por alguns metros, invadiu uma residência e, por alguns momentos, fez uma criança como refém, apontando, segundo o pai da própria vítima, um revólver calibre .22 para a cabeça da sua filha. O menor foi apreendido logo depois que procurou o Pronto Socorro para tratar de suas escoriações provocadas pela queda da motocicleta.

Já o segundo menor foi encaminhado ao Case pela terceira vez. O adolescente, em outra oportunidade, tentou matar a própria mãe a facadas, e recentemente se envolveu novamente em uma ocorrência contra ela. Por este motivo, o Judiciário atendeu também o pedido de internação.

Relação de nascimentos dos dias 16 a 23 de março de 2017

Relação de nascimentos dos dias 16 a 23 de março de 2017. Informações constantes nesta página são oriundas do Cartório de Registro Civil e também do Santa Casa de Caridade de Dom Pedrito.

RIQUELMY MAEQUES MENEZES
Pai: Paulo Cezar Alves Menezes
Mãe: Larissa Marques Soares

MICAELA VALADÃO FLORES
Pai: Felipe Flores Medeiros
Mãe: Larissa da Costa Valadão

MIGUEL SALAZAR CARDOSO
Pai: Leonardo Cardoso Oliveira
Mãe: Jessica Salazar Paz

EMANUELLE DEBORTOLI NASCIMENTO
Pai: Sergio Antonio Ferreira Nascimento
Mãe: Naiane da Rosa Debortoli

HELENA FERREIRA MARTINS
Pai: Rodolfo Ferreira Martins
Mãe: Paula Geovana Rodrigues Ferreira

HENRIQUE DE ARAUJO NUNES
Pai: Marlon da Rosa Nunes
Mãe: Daniela Machado de Araujo

VALENTIN DE ARAUJO NUNES
Pai: Marlon da Rosa Nunes
Mãe: Daniela Machado de Araujo

THEO SANTOS RODRIGUES
Pai: Jhonathan Djeisem Guedes Rodrigues
Mãe: Camila Ropke Santos

STELLA FERREIRA GONÇALVES
Pai: Bruno Corrês Gonçalves
Mãe: Joelize de Fatima do Nascimento Ferreira

LAVINIA DA SILVA DOS SANTOS
Pai: Paulo Antonio Martins dos Santos
Mãe: Natacha de Machado da Silva

Também, neste período, a Santa Casa recebeu a internação de 50 pacientes, dos quais 41 já obtiveram alta, três foram transferidos e infelizmente outros três vieram a óbito. Vale ressaltar que na última quarta-feira (22), foi realizada uma assembleia geral de prestação de contas no salão nobre da Prefeitura Municipal.

Destacamos também, que este é um espaço que a muito tempo vinha sendo solicitado por diversos leitores do portal, e para atendê-los, iniciamos hoje (24), a publicação gratuíta da lista com os nomes de todas as crianças que tiveram suas certidões registradas no cartório local.

Já a inclusão de fotos dos bebês terão dois espaços para divulgação na mesma matéria. O primeiro será destinado a foto principal, que poderá ser adquirido semanalmente por apenas uma família, visto que ele não comporta mais de uma fotografia. No segundo espaço desta mesma matéria, as fotos serão divulgadas na parte final do texto. Nele teremos um espaço ilimitado para as fotos das crianças.

Maiores informações podem ser obtidas através do telefone 53 99993 7948 com Rubens Firpo. Você também poderá se dirigir até nossa redação situada na rua Andrade Neves, 1076 ao lado da Qwerty Escola. Aguardamos sua visita.

Câmeras de vídeo monitoramento da Barão e da 21 de Abril completam um ano de funcionamento

Visibilidade das câmeras são prejudicadas em alguns pontos em função das árvores

Há exatamente um ano, as duas primeiras câmeras de vídeo monitoramento foram instaladas em dois cruzamentos importantes do município, visando auxiliar a Brigada Militar e os órgãos de segurança de Dom Pedrito no combate à criminalidade e também na elucidação de crimes que vinham ocorrendo principalmente no cruzamento da Avenida Barão do Upacaraí com a rua José Bonifácio. O outro ponto contemplado, na época, foi o cruzamento da 21 de Abril com a Moreira César.

Desde a instalação e início do funcionamento em 24 de março de 2016, muitos acidentes e crimes foram flagrados por estas câmeras, e auxiliaram a polícia solucionando muitas ocorrências registradas nestes dois pontos. Vale lembrar, que estas duas primeiras câmeras só foram instaladas devido a mobilização dos empresários locais e da assinatura do convênio entre Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Brigada Militar de Dom Pedrito.

Também cabe ressaltar, que tudo ocorreu após muita burocracia. Além disso, nenhum homicídio foi registrado na área central desde que as câmeras entraram em funcionamento; claro que muito se deve a forte ação da polícia, a agilidade na atuação do Ministério Público e do Judiciário, e do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro) de Dom Pedrito.

As câmeras foram oriundas de uma parceria entre a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Qwerty Telecom, que desde a instalação já arcou com R$ 24.000,00, para manter o serviço em funcionamento e realizar a devida manutenção nas mesmas, sem custo algum para o município. Já a central está localizada no Esquadrão da Brigada Militar, que passou por uma adequação – custeada por empresas privadas – para sediar a central de monitoramento. O piso foi trocado, uma porta nova e bancada para os equipamentos foram instaladas; além de películas novas nos vidros. O projeto também contemplou a instalação de um interfone e câmeras para o esquadrão.

Mas não foram só resultados positivos neste primeiro ano, pois diversos problemas estão sendo enfrentados. Um deles é o não repasse de uma verba municipal, que iria beneficiar o Consepro, e, consequentemente, ajudar a entidade que muito tem apoiado os órgãos de segurança em suas necessidades. E tudo por conta da lei 13.029/014, que entrou em vigor em janeiro, inviabilizando temporariamente o repasse deste valor que também atingiu outras entidades pedritenses, e que depende da agilidade do próprio executivo para que tudo esteja regularizado dentro da lei e definitivamente resolvido.

A verba foi aprovada em outubro de 2016, quando o prefeito Lídio Bastos solicitou à Câmara de Vereadores a aprovação de uma verba no valor de R$ 24.000,00 (vinte quatro mil reais) em prol da segurança pública do município. A solicitação foi feita inicialmente à secretaria da fazenda, através de um memorando, no qual o prefeito solicitava que fosse incluído no orçamento de 2017 o valor mensal de R$ 2.000,00 a ser repassado ao Consepro. A aprovação ocorreu no dia 22 de dezembro de 2016, durante a aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Diversas empresas foram parceiras neste projeto, mostrando o comprometimento delas com a segurança dos munícipes, fato que não ocorreu até este momento com o Executivo Municipal, pois até uma simples poda nas árvores que estão obstruindo imagens na Avenida Barão do Upacaraí, solicitada ainda na gestão passada, e não realizada até a data de hoje (24), além da necessidade na melhoria da iluminação pública, que também já foi solicitada ao Executivo, sendo inclusive este item de segurança alertado pelo Secretário de Segurança do Estado, César Schirmer, em recente entrevista, que “onde existir uma iluminação de qualidade, com certeza irão diminuir as chances de problemas relacionados à segurança em cada município”.

Ainda ontem (23), o presidente do Consepro, Marcos Brum, também alertou durante entrevista no Primeiro Jornal da Rádio Upacaraí, que a criação de uma guarda municipal e de uma área azul seriam de extrema necessidade, principalmente neste momento de crise que afeta o país e o estado, onde não se pode esperar por soluções destes poderes, pois não irá ocorrer.

Em outras palavras, cabe neste momento aos poderes públicos de cada município buscar soluções com os órgãos de segurança de seus municípios. Na próxima terça-feira (28), será realizada uma reunião na CDL com membros do Consepro e da Segurança Pública, para tomada imediata de algumas atitudes, pois fatos lamentáveis como o desta última noite não podem mais ser aceitos como se fosse algo normal.

Uma residência foi invadida e até mesmo uma criança foi utilizada como refém para que o suspeito que era perseguido por uma gangue rival, não fosse morto por eles. Esse é um fato gravíssimo, e colocou inocentes na linha de fogo entre os dois grupos que se enfrentaram ainda nas ruas da Vila Argeni, sendo que um dos indivíduos da gangue rival se refugiou na casa de um cidadão de bem.

Cláudia das facas, presa há seis meses, é condenada por tráfico

Em audiência realizada ontem (21) pela 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito, a Justiça acabou condenando Cláudia Soares de Oliveira “Cláudia das facas”, a um ano e oito meses de reclusão. A ré já está presa há seis meses, e em face do quantun da pena aplicado, foi fixado em regime aberto para cumprimento de pena privativa de liberdade, conforme artigo 33 do Código Penal.

A decisão ocorreu devido a pena privativa de liberdade não ter sido superior a quatro anos, e também porque o crime foi cometido sem violência ou grave ameaça à pessoa. Além disso, de acordo com o termo de audiência, Cláudia não é reincidente em crime doloso.

Ainda conforme o termo de audiência, a ré deverá prestar serviços à comunidade ou entidade pública. Além disso, ela teve uma multa fixada em 1/30 do maior salário mínimo mensal vigente à época do fato, ou seja, R$ 5.280,00 (cinco mil e duzentos e oitenta reais).

Relembre o caso

Na noite de ontem (23) de setembro de 2016, por volta das 23h15, uma mulher foi presa em flagrante por tráfico de drogas pela Brigada Militar ao desembarcar de um ônibus que chegava de Rosário do Sul. A acusada, foi identificada como Claudia Soares de Oliveira, de 33 anos, que foi abordada por dois policiais da SI da Brigada Militar, pois haviam recebido denuncia de que ela iria trazer drogas para a cidade.

Ao desembarcar, uma policial levou a acusada até um banheiro da estação rodoviária para realizar a revista, sendo que no local, Claudia tentou dispensar um envolucro contendo substância semelhante a crack, que após pesagem foi confirmado 3,6 gramas do produto. A acusada ainda trazia consigo um celular nokia com a bateria adaptada em um pedaço de madeira e sem a tampa traseira.

Vale ressaltar que esta quantidade é suficiente para transformar em 13 porções da substância para ser comercializada. Com a prova do crime em mãos, foi dada voz de prisão em flagrante a Claudia, que foi levada ao Pronto Socorro para exame de corpo de delito e depois à Delegacia de Polícia para registro de ocorrência, onde o delegado plantonista Luis Eduardo Benites determinou lavratura do auto de prisão em flagrante por tráfico de drogas, conforme o artigo 33 do código penal.

Após depoimentos e finalização dos tramites legais, a acusada foi encaminhada ao Presídio Estadual de Dom Pedrito, onde irá permanecer à disposição da Justiça. Claudia foi presa em agosto por furto a uma loja e divulgado por nosso portal.

Prefeito de Bagé projeta aplicação de R$ 5 milhões para aquisição de máquinas

Reprodução/FS

O prefeito de Bagé, Divaldo Vieira Lara, comentou, no final de semana, durante uma transmissão online via rede social, que pretende investir cerca de R$ 5 milhões para a aquisição de um novo parque de máquinas. Conforme já havia sido noticiado anteriormente pela Folha do Sul, a previsão era de que a prefeitura buscaria adquirir duas patrolas, duas retroescavadeiras, quatro caminhões e um rolo compactador, entre outros equipamentos destinados aos serviços de limpeza e obras urbanas.

A situação causada pelas chuvas recorrentes na cidade teria impulsionado o Executivo a decretar situação de emergência, em especial aos problemas causados pela pluviosidade nas estradas rurais e vias urbanas. Ao comentar sobre a iniciativa, na transmissão on-line, o chefe do Executivo afirmou que “o maior problema é que não temos máquinas e equipamentos”.

Assim, completou: “Já autorizei o secretário Aurelino Rocha (Economia, Finanças e Recursos Humanos – Sefir), no setor de licitações. Nós vamos fazer uma compra de R$ 5 milhões em maquinários”, revelou. Por fim, de acordo com Lara, os recursos servirão para renovar o parque de máquinas, além de anunciar que a comitiva de servidores municipais, que esteve em Brasília na semana passada, obteve a liberação de mais R$ 1 milhão, destinados exatamente para contribuir com essa compra.

Em Livramento, mãe tira do lixo e das ruas o dinheiro para sustentar a família

Elis Regina/AP

A falta de oportunidades, a pobreza e o desemprego poderiam ser uma boa desculpa para a mãe Margarete Oliveira Deiques (42 anos de idade) buscar ajuda de várias formas, mas foram as dificuldades que a inspiraram a agir diferente. Desde muito jovem, Margarete aprendeu que poderia fazer do lixo o seu “ganha pão”.

Do lixo nasce o sustento da casa

Todos os dias ela calça os sapatos, põe as luvas e sai com o seu carrinho de mão adaptado pelas ruas da cidade em busca de garrafas plásticas e latas de alumínio. Margarete percorre desde a Vila Santa Isabel até o Centro e bairros periféricos em busca de material que possa ser reciclado. Em cada esquina, Margarete pára o seu carrinho de mão e busca nos lixos pelos objetos que se tornarão o dinheiro para pagar a sua conta de luz, água, gás de cozinha e fazer a feira do mês.

Margarete começa todos os dias às 16h e disse que só volta para casa por volta das 21h ou 22h, apenas quando o seu carrinho está bem cheio. Em casa ela separa as latas do plástico e prepara o material para ser levado à empresa responsável pela reciclagem. Margarete conta que a cada carrinho bem cheio e com bastante material é possível fazer R$ 15,00 por dia. Aos domingos ela não trabalha com reciclagem, mas como diarista e faz serviço de faxina em algumas casas, tudo isso para ajudar a manter a casa e cuidar da sua filha menor de apenas 10 anos de idade.

Recolhendo material suficiente por dia, Margarete pode fazer pouco mais do que R$ 350,00 reais por mês. Ela conta que trabalha com reciclagem porque não encontrou nenhum outro trabalho formal ou informal que lhe remunerasse. Diante da crise ela teve a coleta de lixo como salvação. A coleta ainda precisa ser feita antes da passagem do carro da Ansus.

A casa e as dificuldades

Em casa, Margarete mora numa casa muito simples com a filha Daiana. Erguida apenas com madeira e lona elas se abrigam do sol e da chuva, ainda com dificuldades. Um quarto simples é mobiliado apenas com uma cama e uma televisão, a única distração de Margarete para as noites longas e vazias. A cozinha abriga apenas um fogão e uma geladeira velha. Não existe piso, apenas terra vermelha como chão em toda a casa. O banheiro é um pequeno cômodo onde a patente não funciona e a água para o banho mal chega pelos canos.

Sonhos pequenos

A distração da filha é cuidar de gatos e cachorros que vivem no pátio e pela manhã frequentar a escola perto de casa. A filha Daiana classifica a mãe como uma batalhadora e se orgulha do trabalho que ela faz de recolher no lixo o sustento das duas: “ela também ajuda as pessoas, ela tira do lixo coisas que ainda estão boas como plástico e lata e a gente vive com isso. Ela trabalha todo dia”, disse.

Com a aproximação do inverno, Margarete espera poder arrumar o telhado da casa com algumas telhas e lonas que ganhou de uma igreja e quem sabe poder sonhar com um futuro melhor. Para a família (mãe e filha) o melhor seria uma casa mais digna para moradia, por exemplo.

Elis Regina / A Plateia

Acusado de tentativa de homicídio ocorrido em novembro de 2016 é pronunciado pela Justiça

Prisão de Willian Prates no dia 24 de janeiro de 2017

Em audiência realizada ontem (21), na 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito, o acusado Willian Prates Carvalho, conhecido como “Guina”, foi pronunciado pela Justiça por tentativa de homicídio qualificado pelo recurso que dificultou a defesa de uma mulher com erro de execução e acabou ferindo Leonardo Calçada Cardoso. Este é mais um crime apurado com muita rapidez e agilidade, graças a atuação dos órgãos de policiamento, do Ministério Público e do Judiciário, que continuam mostrando uma grande sintonia para que a criminalidade tenha uma punição rápida e dentro da lei.

Sobre a materialidade e autoria do Crime

Está assentada no laudo 182852/16 do IGP, o qual refere que Leonardo Calçada Cardoso “apresenta ferida pérfuro-contusa com orla de escoriação em face anterior-medial do terço superior da perna esquerda, aproximada por sutura cirúrgica, medindo aproximadamente 1,5 centímetros. De acordo com a decisão de ontem (21), a mulher identificou “Guina” como o autor, pessoa que conhecia há muitos anos, enfatizando que o atirador se identificou ao bater na porta, bem como visualizou seu rosto.

Ela disse também, que antes de atirar, o réu disse “O Rique te mandou!”, esclarecendo anterior desentendimento com a mulher de “Rique”, o que fez surgir comentários de que ela pediria ao marido para matá-la. Willian nega o fato, aduzindo estar na casa de um amigo assistindo à final da Copa do Brasil, local onde pernoitou. Por fim, Leonardo disse não ter reconhecido o atirador, que passou a efetuar os disparos após ter sido aberta a porta por Adriana. Portanto, há duas versões nos autos, uma apontando para a condenação e outra para absolvição, o que remete o julgamento meritório ao Tribunal do Júri.

Sobre a qualificadora

O relato da mulher é no sentido que “Guina” bateu à porta e chamou-a pelo nome, o que a motivou abrir a porta, momento em que sequer suspeitava da intenção homicida, dizendo-se surpresa quando o agente sacou a arma e lhe apontou “à queima roupa”, efetuando três disparos. Leonardo dá conta de similar abordagem, pois o agente chamou a moradora e, após ser aberta a janela, passou a realizar os disparos. Assim, não é possível afastar – de modo estreme de dúvida – que o modus operandi não tenha surpreendido a vítima, já que a mesma refere que sequer teria aberto a porta se suspeitasse da intenção. Dificultando, assim, sua defesa.

O acusado foi preso em janeiro (Relembre )

Willian Prates Carvalho, conhecido como “Guina”, foi preso na tarde de terça-feira (24) de janeiro, em uma ação conjunta da Polícia Civil e Brigada Militar de Dom Pedrito. Guina estava foragido e era acusado de uma dupla tentativa de homicídio ocorrido em 24 de novembro de 2016. De acordo com boletim de atendimento realizado pela Brigada Militar na manhã em que ocorreu o crime, por volta das 4h30 a guarnição foi solicitada a comparecer em uma residência situada na rua Juventino Corrêa de Moura, pois os policiais teriam recebido informações que um homem havia sido alvejado por um disparo de arma de fogo.

Os moradores da residência contaram à BM que um indivíduo bateu palmas na frente da casa de uma mulher, e quando uma ela saiu em frente à casa, o suspeito desferiu três disparos em direção a ela; sendo que no primeiro tiro a arma falhou e a mesma se abaixou, fazendo com que o terceiro e último disparo atingisse seu amigo, que também estava na casa e acabou sendo baleado na perna. O crime teria sido motivado por dívida referente a tráfico de drogas.

Na época, foi feito contato com o plantão da delegacia de polícia, que orientou os policiais a realizarem um boletim de atendimento por lesão corporal. No decorrer da investigação da Polícia Civil, os policiais chegaram até Guina como o principal suspeito de ter cometido o crime. O Poder Judiciário decretou mandado de prisão preventiva ao indivíduo pelo crime de tentativa de homicídio. Após ser levado à delegacia de polícia, o acusado foi encaminhado ao Presídio Estadual de Dom Pedrito, onde está à disposição da Justiça.

Uma filha de Dom Pedrito, do Compasso para o mundo

Recentemente, a comunidade pedritense pode acompanhar pela imprensa o registro da formatura de Luana Jardim Arosteguy da Rosa – filha do médico Marco Paulo da Rosa e da diretora do Compasso Centro de Dança, Luciane Jardim Arosteguy da Rosa – em Relações Internacionais, pela Ufrgs, ocorrida no dia 25 de janeiro de 2017.

Também está sendo divulgado que o Compasso Centro de Dança está completando 30 anos de fundação, que serão comemorados no dia 29 de abril, (Dia Internacional da Dança) durante jantar baile que acontecerá no Dom Pedrito Country Clube. O que a vida nos reserva pode ser fruto das circunstâncias, mas também o é de nossas escolhas. Luana teve berço na arte, confundindo-se seus primeiros passos neste mundo com os ritmos que embalavam seus sonhos, e os de sua família, numa das escolas de dança mais conceituadas de nosso País, o que é comprovado pelos incontáveis prêmios conquistados ao longo do tempo, em especial desde o surgimento da Compasso Companhia de Dança, em 1987.

Mas, também, desde que se estabeleceu em Porto Alegre, para estudar, em 2011, paralelamente à sua formação universitária, Luana optou por integrar o elenco do consagrado Ballet Vera Bublitz, dando sequência à sua formação em dança iniciada aqui, em Dom Pedrito, no ano 1997, quando estava apenas com 3 anos de idade.

Sua mãe, Luciane, recorda com carinho e orgulho que em sua escola Luana frequentou aulas de ballet clássico, jazz e dança contemporânea, tendo participado de vários festivais e conquistado inúmeras premiações para o Compasso. E hoje, ao tempo em que registramos a formatura de Luana, ainda podemos anunciar que, com sua participação, o Ballet Vera Bublitz conquistou, em fevereiro de 2017, o 1º lugar em Dança Contemporânea no Festival Tanzolymp, em Berlim, Alemanha, considerado um dos maiores eventos do gênero na Europa.

Escolhidos para representar o Brasil na seletiva oficial realizada em São Paulo, em agosto de 2016, os 23 bailarinos viajaram para a capital alemã no dia 13 de fevereiro, acompanhados da diretora Carlla Bublitz.

“Luana, como parte do elenco do Ballet Vera Bublitz, tem tido a oportunidade de fazer aulas com profissionais de diversos países, como: Leonid Shiev, Andrei Vassiliev e Vladimir Rybiakov (Rússia), Raul Candal (Argentina) e Marlene Lago (Uruguai), entre outros”, conta-nos, a propósito, a professora Luciane da Rosa.

Registrar os méritos e as conquistas de nossos conterrâneos sempre é motivo de muita satisfação para nós, da imprensa, que outras vezes, por força do ofício, somos obrigados a divulgar fatos e notícias que nos desapontam e entristecem. Melhor se torna, ainda, quando nestes momentos em que podemos divulgar boas novas, possamos fazê-lo falando de uma família que tanto tem feito por esta comunidade no âmbito de sua cultura, através da diretora do Compasso, Luciane da Rosa, e no da saúde pública, pelo trabalho competente do médico Marco Paulo da Rosa. Parabéns!!!

Silvio Bermann – Jornalista – MTE 18.189

Polícia Civil e Brigada Militar seguem buscas pelo foragido Júlio Vani Silveira Alves

Desde a manhã de ontem (18), a Polícia Civil e a Brigada Militar estão fazendo buscas para tentar encontra Júlio Vani Silveira Alves, de 47 anos. Ainda no sábado, o juiz da 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito expediu mandado de prisão preventiva de Júlio à pedido do delegado de Polícia Civil Cristiano Ritta. A polícia não divulgou maiores informações sobre a motivação da preventiva, mas imediatamente, no início da tarde, uma equipe da PC com apoio de uma guarnição da BM iniciaram as buscas do acusado.

A equipe da Qwerty Portal de Notícias juntamente com o colega Adriano Simões do jornal Ponche Verde, acompanhou as duas guarnições que andaram por diversos bairros e residências onde Júlio poderia estar se escondendo. Vários locais foram vistoriados pelos agentes policiais, inclusive duas escolas municipais onde o acusado esteve atuando como vígia. Uma delas, a Marli Cassol em 2016, e a outra onde ele atualmente vem trabalhando, escola Herodiano Arrué. Nesta segunda escola, ainda na noite de ontem, Júlio teria ido ligar as luzes e depois evadido do local. Uma guarnição da Brigada Militar esteve na escola acompanhado da direção, onde foram feitas buscas em todas as salas, visto que havia possibilidade de Júlio estar escondido em alguma delas.

Buscas também foram feitas em residências de parentes e amigos do acusado, mas ele não foi localizado em nenhuma delas. A polícia também foi até os arredores da ponte do Santa Maria, pois um dos locais ficaria naquela localidade, mas Júlio também não estava lá.

Durante a madrugada deste domingo (19), por volta das 4h, a residência do acusado pegou fogo, mas ainda não se sabe se foi o próprio que colocou fogo na casa, ou algum desafeto que tenha feito por vingança. Devido à dificuldade de localizar Júlio Vani, ele passou a ser considerado foragido da Justiça, e qualquer um que neste momento esteja dando guarita ao acusado, estará compactuando com o criminoso, podendo responder criminalmente por ajudá-lo.

Qualquer informação que leve a prisão de Júlio poderá ser repassada imediatamente para a Polícia Civil pelo telefone 197 ou para a Brigada Militar pelo 190. Destaca-se também a atuação rápida do judiciário que,de acordo com inspetor Patrício Antunes, agiu com muita rapidez emitindo o mandado de prisão preventiva do acusado.

Nossa reportagem também pode conferir o grande trabalho realizado pelos policiais da PC e da BM, que até este momento continuam tentando insistentemente encontrar o acusado.

Incêndio em residência e briga generalizada em festa foram registrados na madrugada deste domingo (19)

A madrugada deste domingo (19), foi marcada por dois fatos que mobilizaram a Brigada Militar, o Corpo de Bombeiros e o Exército. Por volta das 4h, um incêndio em uma residência na rua Três de Outubro, no bairro Getúlio Vargas deixou moradores assustados. De acordo com informações o fogo que consumiu e destruiu a casa teria sido criminoso, mas ainda não se sabe quem foi o responsável. O proprietário do imóvel não foi localizado.

Poucos minutos depois, por volta das 4h40, a Brigada Militar foi acionada a comparecer na rua Osvaldo Aranha esquina com a avenida Rio Branco, pois estaria ocorrendo um grande tumulto, seguido de uma briga generalizada na saída de uma festa que ocorria naquela localidade. De imediato os policiais se deslocaram até o local, onde constataram o fato e começaram a intervir a fim de controlar a situação.

Muitos jovens estavam presentes, e grande parte deles começou a sair e ir embora devido aos atos violentos de alguns grupos. De acordo com os policiais, alguns poderiam até estar armados, motivo pelo qual eles começaram a abordar alguns indivíduos e esperar a dispersão dos demais.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS POPULARES