NOTÍCIAS

Estado registra situação de risco e alerta para transmissão da dengue em quase 100 cidades

Ao todo, 92% dos gaúchos moram em cidades consideradas infestadas pelo mosquito Aedes aegypt.

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

O risco de alta transmissão da dengue deixa em situação de alerta pelo menos 99 municípios gaúchos. Após vistorias da Secretaria Estadual de Saúde, as cidades apontadas registraram larvas do mosquito Aedes aegypt em mais de 1% dos imóveis analisados. Ao todo, dos 497 municípios que compõem o Rio Grande do Sul, 374 são considerados infestados pelo inseto – onde residem 92% dos gaúchos.

A situação de maior atenção se intensifica em 10 cidades que se concentram nas regiões norte e missioneira do Rio Grande do Sul. Elas tiveram um Índice de Infestação Predial superior a 4% no último levantamento. O município de Bom Progresso, no Norte gaúcho, lidera o ranking de infestação com índice de 8,2. Jaboticaba, São José das Missões, Quinze de Novembro, Alecrim, Alegria, Salto do Jacuí, São Leopoldo, São Nicolau e Tuparendi também estão entre as dez localidades que mais preocupam.

281 mil gaúchos vivem nos 10 municípios com alto risco, representando 2,5% da população do estado. Outras 2,4 milhões de pessoas habitam as 89 cidades que estão na faixa de alerta, ou seja, 22% dos gaúchos. Ainda assim, a vive mora em cidades com risco considerado baixo: 5,5 milhões que significam 49% dos moradores do Rio Grande do Sul, além de 7% que reside em cidades não infestadas.

Em 2019, o Aedes aegypt, transmissor de dengue, chikungunya e zika, contaminou mais de 1300 pessoas no estado. O primeiro sintoma da dengue costuma ser a febre, maior que 39 graus.

Fonte: Band

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios