NOTÍCIAS

Com quatro anos de atrasos, Estado segue sem perspectiva de colocar salários em dia

Sem dinheiro das ações do Banrisul e do Tribunal de Justiça, resta o regime de recuperação fiscal, cujo acordo não tem data para ser assinado

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Fracassada a tentativa de vender ações do Banrisul, o governo do Estado fechou setembro sem perspectiva de quitação em dia dos salários dos servidores. O calendário de pagamento de setembro, divulgado nesta segunda-feira (30) pela Secretaria da Fazenda, mostra que a situação piorou em comparação com agosto, cuja folha só será quitada em 11 de outubro.

O primeiro pagamento do salário de setembro está previsto para 15 de outubro. Nessa data – Dia do Professor –, receberão os servidores que ganham até R$ 2,5 mil líquidos (54% dos contracheques). Para quem recebe acima desse valor, o governo vai pingar R$ 1 mil em 16 de outubro. 

A parcela seguinte, de R$ 3.350, virá apenas em 12 de novembro. A quitação total da folha de setembro está prevista para 13 de novembro, a menos que entrem recursos extraordinários.

– Analisando o fluxo de caixa hoje, essas são as datas possíveis para dar previsibilidade de pagamento. Qualquer variação positiva que dê segurança para o depósito de mais uma faixa, será anunciada – disse o secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso.

Não há, no horizonte, sinal de retomada dos pagamentos em dia. O governador Eduardo Leite esperava contar com uma espécie de empréstimo do Fundo de Reaparelhamento do Judiciário, mas o presidente do Tribunal de Justiça, Carlos Eduardo Duro, descartou essa hipótese. Resta o regime de recuperação fiscal, cuja adesão não tem data para ocorrer.

Para marcar os quatro anos de atraso nos salários, o Sindicato dos Técnicos Científicos (Sintergs) resolveu fazer uma ironia. Em frente ao Centro Administrativo, distribuiu bolo e refrigerante ao som de Parabéns a você.

Aliás

Com a persistência do atraso nos salários, o governador Eduardo Leite fica de mãos amarradas para propor à Assembleia projetos que vão impor sacrifícios aos servidores.

Na educação, o futuro

Por dois dias (segunda, 30 e terça-feira, 1º), a segunda edição do projeto Sesi com@Ciência transformou o Centro de Eventos da Fiergs em um espaço de reflexão sobre o futuro da educação. 

Os mais de 11 mil inscritos para acompanhar a exposição de 200 projetos e protótipos, os debates  e as oficinas formam um colorido mosaico, com alunos de escolas públicas e privadas, professores, diretores e especialistas convidados para relatar e discutir experiências inovadoras.

No espaço onde normalmente a indústria expõe seu produtos, crianças e jovens mostram o resultado de pesquisas realizadas com foco na solução de problemas por 832 alunos dos programas educacionais do Sesi de 28 cidades.

Enquanto as crianças e adolescentes percorrem o pavilhão ou participam de oficinas, professores e gestores de escolas debatem o futuro da educação, a importância da ciência e da inovação.

Só uma parte

A mesa diretora da Assembleia Legislativa aprova nesta terça-feira (30) o pagamento de parte da dívida com o IPE Saúde. Mas só serão quitados os débitos de 2018 em diante – muito menos do que os R$ 24,2 milhões que o Executivo cobra. 

O cronograma deve ser definido após sugestões do setor financeiro da Casa, mas o presidente Luis Augusto Lara (PTB) afirma que o Legislativo está economizando para pagar dentro de sua gestão, que termina no fim do ano. Fonte: GaúchaZH/Rosane de Oliveira

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.