- DestaquesNOTÍCIAS

Operação Alta Pressão

Exército Brasileiro promove operação de fiscalização para combater o comércio ilegal de armas e munições

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

O Exército Brasileiro, por meio do sistema de Fiscalização de Produtos Controlados – SisFPC inicia hoje, em todo o Brasil, a Operação Alta Pressão IX. A Atividade ocorre em interagências e tem como finalidade fiscalizar o comércio, o tráfego e a utilização de armas de fogo, munições e insumos, em lojas virtuais e físicas cadastradas junto ao Exército, além de clubes de tiro. A Meta é evitar ou coibir o cometimento de ilícitos com o uso desses produtos controlados.

A primeira operação do gênero ocorreu em 2015. De lá para cá, foi possível cadastrar uma significativa redução no comércio indevido de armas e munições no âmbito regional e nacional. Todas as atividades têm contado com a participação de militares do Exército e de diversos órgãos de segurança pública.

O SisFPC tem capacitado todos os militares e integrantes de agências que participam da operação. O objetivo é prepara-los na difusão do conhecimento, conforme diretrizes emanadas pelo comando logístico – COLOG. Antecede a esse trabalho, o levantamento prévio por parte da inteligência do Exército e dos demais órgãos de segurança, visualizando por meio de instrumentos tecnológicos os principais alvos e riscos.

Dados

Na Operação Alta Pressão VIII – outubro de 2018, a operação ocorreu em todo o país. Foram apreendidas 140.797 munições, 416 armas de fogo, sete armas de pressão e quatro lunetas de uso restrito. Ao todo, 151 empresas foram autuadas por irregularidades administrativas no trato com produtos controlados pelo Exército (PCE).

Grande parte das empresas autuadas não atendia a legislação vigente. Quanto ao volume de armas e munições apreendidas, a principal motivação se deu pela ausência de documentação, além dos números de PCE existentes no estabelecimento haverem divergido do registro constante do Exército. Fiscalizar o controle de estoque desses estabelecimentos é um fator considerado importante para a DFPC.

Fonte: Exército Brasileiro

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.