- DestaquesVARIEDADES

Vai viajar para Rivera? Confira essas dicas

Limite de compras, produtos controlados e outras informações importantes para quem vai fazer turismo de compras na cidade vizinha

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

1. Qual a cota para compras de produtos estrangeiros trazidos como bagagem acompanhada? A cota tecnicamente chamada de limite de isenção é de US$ 300,00 (trezentos dólares) por pessoa, seja adulto ou criança;

2. Um casal, para adquirir um único produto de valor superior a US$ 300,00, sem pagar impostos, pode somar suas cotas? NÃO. O limite é individual e intransferível, não podendo ser somado, nem mesmo para casais ou pais ou filhos;

3. O direito de isenção para bagagem é válido para qualquer tipo de mercadoria, desde que a soma das mesmas seja inferior à cota? NÃO. São excluídos do tratamento tributário de bagagem, bem cuja quantidade, natureza ou variedade configure importação ou exportação com fim comercial ou industrial; cigarros e bebidas de fabricação brasileira, destinados a venda exclusivamente no exterior; bebidas alcoólicas, fumo e seus sucedâneos manufaturados, quando se tratar de viajante menor de dezoito anos;

4. O que são produtos de importação controlada? São produtos que necessitam de manifestação prévia de órgão competente para serem trazidos como bagagem; Por exemplo: animais, plantas, sementes, alimentos, armas e munições, medicamentos e produtos agropecuários. Estes bens, quando encontrados sem comprovação de sua regular introdução no País, estão sujeitos à apreensão, independente do valor;

5. O limite de isenção pode ser utilizado a qualquer tempo? NÃO. O direito a isenção para produtos estrangeiros, como, trazer como bagagem só pode ser exercido uma vez cada trinta dias.

6. Existem quantidades limites para compra de alguns produtos? NÃO. A legislação não prevê quantidades exatas que podem ser adquiridas, estabelecendo tão somente condições para usufruir a isenção de bagagem, as quais são vinculadas à pessoa do viajante (quem está comprando) e as circunstâncias da sua viagem (finalidade, duração, periodicidade).

7. De que forma é calculado o Imposto sobre produtos adquiridos em Rivera/Uruguai? Caso o comprador não tenha gozado do limite de isenção há menos de um mês, subtrai-se do valor das compras o valor do limite de isenção e calcula-se o imposto à alíquota de cinquenta por cento. Por exemplo: valor do produto: US$450,00, isenção: US$ 300,00, valor tributável: US$ 150,00, valor do imposto: US$ US$ 150,00 X 50% = US$ 75,00O. Valor do imposto em dólares será convertido para reais, observando a cotação do dólar fiscal, informado diariamente pela Receita Federal. O pagamento do valor calculado deverá ser efetuado na rede arrecadadora (bancos) e será exigida autenticação do recolhimento para liberação da mercadoria;

8. Em que local o viajante deve apresentar suas compras à Fiscalização da Receita Federal? A legislação estabelece que os produtos estrangeiros adquiridos no exterior devem ser apresentados à Alfandega no momento da entrada no País. Em Santana do Livramento, a Receita Federal localiza-se ao lado do Parque Internacional;

9. De que forma a Receita Federal confere o valor dos produtos estrangeiros trazidos para o Brasil como bagagem? Pelo exame das características dos produtos e pela nota fiscal/fatura de compra. Além disso, a Receita Federal possui listas de preços de produtos estrangeiros, que servem de referência para a valoração. Caso o valor declarado em nota fiscal ou fatura seja inferior ao dessas listas, a Receita desconsidera a nota fiscal ou fatura para fins de cálculo do imposto e de fiscalização;

10. Os viajantes podem declarar suas compras nos postos de fiscalização instalados nas rodovias brasileiras, como existente junto à Polícia Rodoviária Federal, na saída de Santana do Livramento, em vez de o fazer na Alfandega (Receita federal)? NÃO. A Declaração de Bagagem Controlada (DBA) só poderá ser efetuada no prédio da Inspetoria da Receita Federal. A mercadoria cujo valor exceder a cota de isenção, quando encontrada nos postos de fiscalização, estará sujeita à apreensão e perdimento caso não esteja acompanhada de DBA e de comprovante do recolhimento do imposto devido;

11. O viajante que não declara suas compras com valor total acima de US$ 300,00 na Área de Controle Integrado na entrada do País está praticando crime? SIM. O Código Penal tipifica como crime de descaminho ou contrabando (Art.334) e a legislação fiscal como dano ao erário. Descaminho é a introdução de produtos estrangeiros no País sem o pagamento dos impostos devidos. Contrabando é a introdução de produtos estrangeiros de importação proibida. Isto significa dizer que, além de receber Auto de Infração fiscal, o viajante estará sujeito a responder o processo criminal, em inquérito a ser instaurado pela Polícia Federal.

Fonte: Barão FreeShop

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.