- DestaquesNOTÍCIAS

Michael Mulholland, um dos maiores osteopatas da atualidade, vem a Dom Pedrito

O australiano, que está visitando alguns núcleos de formação no Brasil, veio conhecer o ambulatório que funciona junto ao Centro de Convivência da Família

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Desde o início de 2017, funciona junto ao Centro de Convivência da Família, repartição pertencente à prefeitura de Dom Pedrito, um ambulatório do IBO – Instituto Brasileiro de Osteopatia. Mensalmente são ofertados, pelo SUS, quase oitenta atendimentos à comunidade pedritense.

O grupo é atendido por profissionais, que no Brasil precisam ser fisioterapeutas ou médicos, e que tem no trabalho ambulatorial, parte de sua formação. Eles são acompanhados por profissionais já formados em osteopatia, no caso de Dom Pedrito, Natália Rocha, Celita Beck, José Vilmar Diogo, Tamara Sanches, Fernanda Rupp e Filipe Guerrero.

No Brasil existem poucos locais de formação para novos profissionais em osteopatia, sendo que no Rio Grande do Sul, as aulas acontecem em Porto Alegre, e uma vez por mês os alunos vêm até o ambulatório montado em Dom Pedrito para, de forma voluntária, prestar o atendimento à população pedritense, ao mesmo tempo em que fazem sua formação.

Michael Mulholland é australiano e osteopata há mais de 30 anos. Em visita ao Brasil, ele ministrou algumas aulas no Rio de Janeiro e a convite do IBO, veio até Porto Alegre, e de lá, até Dom Pedrito, para conhecer o ambulatório. Com esta, é a quinta vez que ele vem ao Brasil. Michael é um dos nomes que integram o grupo de pessoas que defendeu a inclusão da osteopatia junto à OMS – Organização Mundial de Saúde

Michael visitou as dependências do ambulatório local e ficou satisfeito com o que viu. Ele interagiu com os alunos que aproveitaram a visita do especialista para sanar dúvidas e ver o próprio Michael demonstrar algumas técnicas junto aos pacientes.

Os alunos percorrem um caminho de cinco anos – 1.700 horas de estudo para se tornar um osteopata, sendo que dessas, 500 horas são dedicadas ao trabalho ambulatorial.

De acordo com Natália Rocha, umas das professoras do curso e que foi nossa intérprete, em agosto estará abrindo uma nova turma em Porto Alegre. Confira no link https://cursos.ibo-osteopatia.com.br/cadastro-turma-poa-2019

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.