- DestaquesNOTÍCIAS

Turma de 412 policiais civis é nomeada e deve começar a trabalhar até dia 15 de julho

Cerimônia de formatura de 205 inspetores e 207 escrivães ocorreu nesta segunda-feira. A lista de cidades para onde eles serão enviados não é divulgada

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Na tentativa de reduzir um dos maiores déficits de servidores da história da corporação, a Polícia Civil recebe nesta segunda-feira (8) reforço de 412 agentes. São 205 inspetores e 207 escrivães, que chegarão às delegacias ainda na primeira quinzena de julho. Os policiais serão destinados para todas as regiões do Estado, conforme diagnóstico do programa RS mais Seguro. A cerimônia de encerramento do curso de formação ocorreu na tarde desta segunda-feira (8) na Casa da Música da Ospa, junto ao Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre.

O efetivo ideal da Polícia Civil é estimado em 9,7 mil agentes. No entanto, até o ingresso desses policiais a corporação contabilizava 4,9 mil — deficit de 49%. 

Na cerimônia, o governador do Estado, Eduardo Leite, confirmou que a nomeação dos 412 novos policiais foi assinada ainda pela manhã e será publicada no Diário Oficial nesta terça-feira (9). Ele destacou a redução dos homicídios neste ano, em comparação com 2018.

— Foram, pelo menos, 300 vidas salvas em comparação com o mesmo período do ano passado. É algo que talvez não seja medido porque não sabemos quem são essas pessoas que foram salvas. Quero agradecer a vocês (aos formandos) que escolheram este caminho e me conforta saber que não estamos sozinhos nessa jornada, entre pessoas que querem o bem da sociedade.

No discurso, os novos policiais destacaram o fato de essa ser a primeira formatura com a corporação sob o comando de uma mulher. A delegada Nadine Anflor citou, na cerimônia, as ações realizadas pelos policiais, como as buscas pelos criminosos que atacaram uma agência bancária em Arroio do Padre, no sul do Estado, na última sexta-feira (5). Falou sobre os desafios da profissão e destacou a integração com outras instituições da área da segurança, como estratégia de combate ao crime.

— Serão eles que farão diferença em uma sociedade que tanto clama por segurança pública. Apesar de todas as dificuldades garanto que vale a pena. Salvar uma vida, restituir um objeto roubado, localizar uma pessoa desaparecida, ou simplesmente dar uma informação correta faz muita diferença na vida daqueles que nos procuram — disse.

Cidades de destino

Às 14h06min, ao som das palmas de familiares e amigos, os formandos ingressaram na sala de concertos da Ospa. Foram necessários 10 minutos para que as duas extensas filas ocupassem as cadeiras dispostas sobre o palco. Entre eles, estava a advogada porto-alegrense, Gabriela Appelt, 31 anos. Em busca de um propósito na profissão, no ano passado decidiu tentar o concurso para policial civil. A disputa reuniu 400 candidatos por vaga, num concurso com 44 mil inscritos de todos os Estados do país.

Nesta segunda-feira (8), tornou-se uma das escrivãs formadas após seis meses do curso, que iniciou em dezembro na Academia de Polícia Civil (Acadepol) do RS. Em mais de 800 horas de formação, teve aulas de armamento e tiro, medicina legal e investigação criminal, entre outras disciplinas.

— A função social que a polícia desempenha é o propósito que eu buscava na minha profissão. Sempre admirei isso. Aprendi coisas que nunca imaginei durante o curso, até sobre mim mesma. Passamos por muita superação — afirma.

Pouco antes do hino nacional, quando familiares silenciaram na sala lotada, os gritos infantis insistentes de “pai”, direcionado a um dos policiais sobre o palco, quebraram a formalidade e provocaram risos na plateia. Logo após fazer o juramento da corporação, repetido pelos colegas, às 14h29min, o primeiro colocado no curso, Jussan Cezaro, recebeu o diploma. Na sequência, o mesmo formando, de Palmitinho, no norte do RS, foi presenteado com uma pistola, aos gritos de “Jussan, Jussan” dos demais.

Também na primeira fila estava Gabriela. Após a formatura, nesta terça-feira (9) a turma passará por mais uma etapa para a nova profissão: será empossada. No mesmo dia, a partir da classificação obtida de acordo com o desempenho no curso, escolherão os municípios para onde serão destinados. Gabriela está na 57ª colocação. Seu objetivo é permanecer na Capital ou em algum município da Região Metropolitana.

— E, claro, agora queremos chegar logo nas delegacias. Começar a trabalhar— diz Gabriela.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou nesta segunda-feira que não divulgará a lista de cidades que receberão os novos policiais por necessidade estratégica e segurança das localidades. 

Além dos escrivães e inspetores formados nesta segunda-feira, estão em curso 100 delegados. Eles devem concluir o curso preparatório em outubro.

Fonte: GaúchaZH

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.