- DestaquesNOTÍCIAS

PDT está sem direção em Dom Pedrito?

Ação da Mulher Trabalhista ingressou com pedido de impugnação da Convenção municipal que elegeu Perico como presidente. Caso foi parar na polícia.

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Como noticiamos recentemente, a convenção municipal do Partido Democrático Trabalhista, em Dom Pedrito, corria o risco de ser impugnada. Fontes oficiais relataram à nossa reportagem que, de fato, isso está acontecendo. Para se ter uma ideia da situação delicada que vive o partido em Dom Pedrito, até um Boletim de Ocorrência foi registrado na Polícia Civil e integra o recurso de impugnação remetido à Executiva Estadual do PDT.

O fato é que a eleição ainda não foi homologada. Agora o partido terá oito dias para se manifestar. No documento que a AMT remeteu à executiva Estadual do PDT, as representantes expressam a sua indignação com o resultado das eleições e referem vícios insanáveis na condução do pleito, e também aparecem as justificativas para que a convenção seja impugnada como, por exemplo, o fato de que os nomes dos candidatos para o Conselho Fiscal e Comissão de Ética não constavam na lista de candidatos junto à urna de votação; outra questão levantada é o percentual feminino na chapa de votação, que é de 30%, e também não foi respeitado; em oito de maio, ocorreu uma reunião onde foi acertado informalmente os nomes que comporiam diretório, suplentes, conselho fiscal, comissão de ética, e executiva – ocorre que depois, vários nomes teriam sido suprimidos; já em 25 de maio, por ocasião da eleição do diretório, não houve consenso para a eleição, fazendo com que Alberto Rodrigues, vice-prefeito, declinasse de ser eleito por aclamação, uma vez que o partido não aceitava que os nomes de Jonathan Duarte e Eli Barbosa figurassem na Executiva, dando início a quebra do acordo com Perico; o Boletim de Ocorrência registrado na delegacia local narra que Perico procurou Graziela Fontoura Farinha – presidente da AMT, e diretora Câmara de Vereadores de Dom Pedrito, e em tom alterado, a pressionou a assinar o documento que não tinha sido elaborado por ela, além de proferir algumas palavras que na concepção dela, foram desrespeitosas.

Assim sendo, até uma reunião convocada pelo então presidente do partido, Antonio Carlos Vicente e Silva (Perico), para o dia 18 de junho, não poderia ter acontecido uma vez que, até que essa situação se resolva, é a direção estadual do PDT que responde pelo partido em Dom Pedrito.

Parece ser este um momento delicado e de enfraquecimento do PDT em Dom Pedrito, uma vez que nomes fortes já deixaram a sigla.

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.