NOTÍCIAS

Associação dos Sargentos, Sub-Tenentes e Tenentes da BM emitem alerta a sociedade gaúcha

Vai faltar PMs nas ruas nos próximos dias

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Baseado em uma avalanche de reclamações do efetivo da Brigada Militar, que chegaram ao conhecimento da ASSTBM(ASSOCIAÇÃO DOS SARGENTOS, SUB- TENENTES E TENENTES DA BM) a entidade verificou que mais de 2.200 PMs deixarão a Brigada Militar no ano de 2019.

O fato que Soldados, Sargentos e Tenentes da BM, que já possuem tempo para sua permanência na Corporação, mas que querem continuar tralhando no Policiamento solicitaram a CONCESSÃO ou RENOVAÇÃO, do Abono de Incentivo à Permanência no Serviço Ativo (AISPA) instituído pelo estado através da lei 13925/2012 tem seus pedidos negados pelo atual Governo do Estado.

Muito embora o Comando da Corporação venha se manifestando favoravelmente a permanência destes servidores no serviço ativo, baseado no deficit do efetivo e pela conveniência e oportunidade em favor do serviço publico, o Governo Estadual, baseado no Decreto nº 54.480 de 02 de janeiro de 2019, tem negado os pedidos unica e exclusivamente ais integrantes da BM.

REPERCUSSÃO DESTA DECISÃO DE GOVERNO.

O Efetivo existente na BM é de aproximadamente 15 mil servidores(as)enquanto o previsto em lei deveria ser de 37.050 o que significa uma defasagem de mais de 53 % a menos do que o necessário.

Com este posicionamento do Governo em não conceder e renovar a permanência no serviço ativo, este deficit deve aumentar para mais de 60% diminuindo ainda mais a capacidade do efetivo da Brigada Militar de combate a violência.

Para Aparício Santellano, presidente da ASSTBM, as inúmeras reclamações do efetivo da BM desde o início do governo tem levado preocupações a entidade, entre elas a não concessão da AIPSA, que é apenas um dos problemas dos servidores de nível médio.

Neste episódio existem duas possibilidades afirma o Presidente Santellano:

Ou o Decreto n° 54.480/19 editado no primeiro dia de governo não tratou de forma prioritária a Brigada Militar, com suas peculiaridades, ou o Governo está “jogando contra” ao discriminar o Policial Militar e proporcionar o caos na segurança.

“Não entendemos a discriminação contra o efetivo da BM, principalmente com quem trabalha na segurança da sociedade e esta todos os dias nas ruas, já que todos os outros setores da própria segurança pública tem sido concedido o abono de permanência, basta ler o diário oficial do estado para constatar isto, não somos contra a concessão aos outros, mas não entendemos porque os brigadianos estão sendo negados.

“Temos demonstrado desde o início do governo, nossa intenção em dialogar e em construir juntos soluções a segurança dos gaúchos(as) e aos brigadianos(as) da base da corporação, porém o Governo do Estado não tem demonstrado vontade para isto, mas vamos manter sempre a mesma postura de defesa intransigente dos policiais impedindo de todas as formas a sua discriminação, afirmou Santellano presidente da ASSTBM.”

FICA O ALERTA A SOCIEDADE GAÚCHA , VAI FALTAR POLICIAMENTO LOGO EM BREVE NO RS! Clique e confira

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.