- DestaquesNOTÍCIAS

Elvis Dias Ozório, Cristian de Freitas Dias, e Luis Fernando Pires Madruga são condenados a mais de 14 anos de reclusão em regime fechado

Réus foram considerados culpados pela tentativa de assassinato de Ricardo Barbosa Leal ocorrido em maio de 2016

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Ocorreu nesta quarta-feira (28), o quarto júri do mês de novembro. os réus Elvis Dias Ozório, Cristian de Freitas Dias, vulgo “Pombão” e Luis Fernando Pires Madruga, vulgo “Nandinho”, além de outros dois menores são acusados de tentar matar Ricardo Barbosa Leal. O crime ocorreu no dia 26 de maio de 2016, na Rua Bernardino Ângelo, em frente ao Clube Comercial.

O magistrado Luis Filipe Lemos Almeida presidiu o julgamento. O Promotor de Justiça, Leonardo Giron, foi responsável pela acusação do Ministério Público, já os réus tiveram sua defesa realizada pelo advogado Valdemar Mancilhas Rodrigues. Os trabalhos tiveram início na parte da manhã, quando o Juiz da 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito, Luis Filipe Lemos Almeida, disse aos jurados e aos presentes, como o júri iria funcionar. Logo em seguida, foram sorteados os jurados, e posteriormente o início do julgamento.

Inicialmente, testemunhas prestaram depoimento. Logo depois foi a vez dos réus prestarem esclarecimentos sobre o crime. Após esta primeira etapa, o Promotor de Justiça, Leonardo Giron, tomou a palavra e explanou durante 1h30, onde teve a oportunidade de mostrar para os jurados sua convicção sobre o crime cometido naquele dia.

No início da tarde, foi a vez do advogado de defesa, Valdemar Mancilhas Rodrigues. Ao final, os jurados decidiram pela condenação pela tentativa de homicídio duplamente qualificado de Ricardo Leal, além da dupla corrupção de menores e associação criminosa majorada. Elvis Dias Ozório e Cristian de Freitas Dias, vulgo “Pombão” foram condenados há 14 anos, seis meses e 20 dias de reclusão em regime fechado. Já Luis Fernando Pires Madruga, vulgo “Nandinho”, recebeu a pena de 18 anos, seis meses e 20 dias, também em regime fechado.

Relembre o caso

No dia 26 de junho de 2016, Ricardo Leal, 46 anos, foi esfaqueado após sair de uma festa no Clube Comercial. O crime ocorreu por volta das 6h. Naquela oportunidade, a vítima disse à Brigada Militar e à Polícia Civil que não sabia quem havia lhe esfaqueado. Segundo testemunhas, Ricardo foi agredido por cerca de quatro pessoas, sendo que uma delas lhe deu a facada. Ele foi levado com urgência ao Pronto Socorro, onde posteriormente foi submetido a uma cirurgia na Santa Casa de Caridade de Dom Pedrito. O ferimento atingiu o abdômen da vítima.

A prisão dos acusados

Policiais Civis de Dom Pedrito, Bagé e Santana do Livramento, juntamente com a Brigada Militar de Dom Pedrito e Bagé, deflagraram, na manhã do dia 05 de julho de 2016, a Operação Xeque-Mate, visando desarticular a gangue do São Gregório, que vinha cometendo uma série de crimes na cidade – inclusive sendo os principais suspeitos pela tentativa de homicídio ocorrida 26 de junho de 2016, na saída de uma festa, em frente ao Clube Comercial.

A ação, que teve coordenação da delegacia de Dom Pedrito, reuniu 60 policiais, distribuídos em 20 viaturas. De acordo com o delegado Cristiano Ribeiro Ritta, foram 18 ordens judiciais; sendo três mandados de prisões preventivas, nove mandados de busca e apreensão e seis conduções coercitivas.

“Houveram três prisões e mais duas conduções de adolescentes para a delegacia, onde todos foram ouvidos e tratados como os principais suspeitos da tentativa de homicídio”, revelou Ritta. A ideia segundo ele, era neutralizar a ação das gangues, começando pela do São Gregório. Ainda durante a ação daquele dia, os policiais apreenderam diversas facas, barras de ferro, celulares e droga. Foram presos naquela oportunidade, Cristian de Freitas Dias, 18 anos; Luis Fernando Pires Madruga, 22 anos; Elvis Dias Osório, 21 anos.

 

Notícias relacionadas

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.