- DestaquesNOTÍCIASVARIEDADES

Casos recentes de sarampo acendem alerta para a importância da vacinação de crianças

Três vitimas da doença já foram confirmadas no primeiro semestre de 2018

Textos, fotos e vídeos do Portal Qwerty estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, sendo vedada a reprodução em qualquer meio de comunicação sem autorização prévia.

Após a confirmação de um grande número de casos de sarampo registrados no primeiro semestre deste ano na região norte do país e sete casos já diagnosticados no Rio Grande do Sul, a equipe da Qwerty Portal de Notícias conversou com a enfermeira coordenadora do setor de imunizações, Raquel Stochero, para esclarecer algumas dúvidas acerca da doença e para alertar a população da importância da vacinação contra o vírus.

O sarampo é uma doença viral contagiosa e uma das maiores causas de morte entre crianças não vacinadas. Ela é transmitida por pessoas infectadas através do contato com gotículas do nariz, da boca ou da garganta quando ela tosse, espirra ou respira.

Os sintomas se manifestam entre 10 e 14 dias após a exposição ao vírus e incluem coriza, tosse, infecção nos olhos, erupção cutânea e febre alta. Três a cinco dias após o início dos sintomas, uma erupção cutânea explode. Geralmente, começa como manchas vermelhas planas que aparecem no rosto, na linha do cabelo, e se espalham para o pescoço, tronco, braços, pernas e pés.

Segundo Raquel Stochero, o diagnóstico clínico do sarampo demanda um histórico de febre de pelo menos três dias e a presença de pelo menos um dos três seguintes sintomas: tosse, coriza ou conjuntivite. Grupos de pequenas manchas brancas no interior da boca, conhecidas como mancha de Koplik, também são um sinal de sarampo. Essas manchas geralmente aparecem dois dias antes da coceira, característica do sarampo.

Ainda segundo a enfermeira, não existe um tratamento específico para o sarampo: “Os pacientes são isolados e tratados por falta de vitamina A, complicações relacionadas com os olhos, estomatite (aftas), desidratação, encefalite (inflamação no cérebro) ou infecções respiratórias, e as crianças que correm o risco de desenvolverem desnutrição moderada a grave recebem apoio nutricional e tratamento”, destacou Stochero.

A vacina é a melhor forma de proteção contra essa doença e, mesmo depois que a doença já tenha começado a se espalhar, a vacina ainda pode reduzir o número de casos e mortes. A dificuldade está no fato de pelo menos 95% das pessoas precisarem estar imunizadas para prevenir novos surtos.

A vacina Tríplice Viral é a imunização utilizada para prevenir sarampo, caxumba e rubéola e deve ser administrada da seguinte maneira:

– Para crianças a 1ª dose é administrada aos 12 meses e a 2° dose aos 15 meses de idade;

– Para adultos com idade até os 29 anos são duas doses com intervalo de 30 dias;

– Para adultos com idade de 30 à 49 anos é utilizado apenas uma dose.

 

Notícias relacionadas

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere nos ajudar desabilitando o adblocker no seu navegador.