Confirmado primeiro caso de meningite bacteriana do ano, em Bagé

    (Foto: Divulgação/Folha do Sul)

    Uma criança de 11 anos foi o primeiro caso confirmado de meningite neste ano, em Bagé. Conforme a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência da cidade de Bagé, trata-se de um caso isolado e a criança já saiu do Centro de Tratamento Intensivo. Ela continua internada na Santa Casa daquela cidade, mas apresenta boa recuperação, ainda conforme divulgação.

    Em julho, de acordo com a assessoria, outro caso da doença foi confirmado, mas este era de meningite fúngica.

    A coordenadora do setor de epidemiologia do município, Sheila Tavares, relata que a meningite bacteriana é uma infecção que provoca inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula, e pode ser causada por diversas bactérias. “É uma situação grave, caso não seja tratada adequadamente. Apesar disso, tem cura. O tratamento deve ser realizado em nível hospitalar, assim que aparecerem os sintomas”, aponta.
    Sheila acrescenta que o tempo de incubação geralmente é de quatro dias. Entre os sintomas, estão a dor de cabeça intensa, febre acima de 38 graus, dor ao virar o pescoço, manchas roxas na pele, rigidez do músculo do pescoço, cansaço e apatia, além de sensibilidade à luz e confusão mental.

    O médico, explica Sheila, pode obter o diagnóstico após observar os sintomas e fazer o exame do líquor cefalorraquidiano, que é feito por meio de punção lombar.

    Sequelas 
    Alterações cerebrais, surdez, paralisia motora, epilepsia e dificuldade na aprendizagem estão entre as sequelas. Normalmente, as da meningite bacteriana surgem quando o tratamento não é feito de forma adequada, especialmente em indivíduos com mais de 50 anos ou crianças.


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009