Total de desempregados dobrou em três anos, calcula Ibge

    (foto: divulgação/google/Marilia Camelo)

    O total de desempregados no Brasil mais que dobrou em três anos.

    Antes da crise, em fevereiro de 2014, havia 6,6 milhões de desocupados, hoje são 13,4 milhões de pessoas desocupadas. O equivalente a 6,8 milhões de desempregados a mais, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciados em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Com isso, a concorrência no mercado de trabalho também sofre alterações, as vagas ficam cada vez mais difíceis, e as consequências são as que vimos nos relatos corriqueiros do dia a dia.

    As demissões em setores importantes afetou também a formalização do mercado de trabalho. O pico de trabalhadores com carteira assinada foi alcançado em junho de 2014, quando país contava com 36,9 milhões de trabalhadores formais. Em fevereiro de 2017 esse contingente caiu para 33,7 milhões.

    “A perda na carteira assinada é forte e de lenta de recuperação. O retorno desse processo tende a ser mais complicado, de reconstituir aquele posto de trabalho formal”, alertou o coordenador do IBGE.

     


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009