Força-Tarefa de Combate ao Abigeato e Crimes Rurais completa um ano nos próximos dias; parte do trabalho dos policiais será mostrado no Fantástico deste domingo

    A Força-Tarefa de Combate aos Crimes Rurais e Abigeato da Polícia Civil foi criada com o objetivo de combater o elevado número de abigeatos e demais crimes praticados contra produtores rurais e demais trabalhadores do campo – crimes que geram enorme prejuízo econômico ao Estado.

    Hoje a Força-Tarefa é composta pelo seguinte quadro de policiais civis: Delegado de Polícia Adriano de Jesus Linhares Rodrigues, coordenador e responsável pelas investigações; Inspetor de Polícia Marcelo da Costa Vidal; Inspetor de Polícia, Patrício Jardim Antunes; Escrivão de Polícia Márcio Bruno Pereira dos Santos; Escrivã de Polícia Flávia Domenech Silva Delabary; Escrivão de Polícia Daniel Cardoso Nunes; Comissário de Polícia Renato de Paula Cabrera; Comissário de Polícia George Neri Pautes Batista.

    A Força-Tarefa está completando um ano nos próximos dias. Ela foi criada em 01/08/2016 e, desde então, vem realizando várias ações por todo o Estado, com o objetivo de diminuir os índices de crimes que atingem não apenas o homem do campo, mas toda a população gaúcha, em especial na repressão de furtos (gado, arroz, soja), receptação, comércio de carne oriunda do abigeato e estelionato contra produtores rurais.

    Neste domingo (29), em uma reportagem especial sobre o abigeato no programa Fantástico, da Rede Globo, parte do trabalho dos agentes da Força-Tarefa será mostrado e você poderá acompanhar a complexidade e a importância do trabalho desses policiais no combate a esse tipo de crime.

    Como resultado obtido pela Força-Tarefa até hoje (29), podemos dizer que já foram realizadas as seguintes ações: 116 prisões de criminosos que atacaram produtores e trabalhadores do campo; 17 quadrilhas e organizações criminosas de abigeato (furto de vaca, cavalo e ovelha) desarticuladas.

    – Dentre as principais podemos destacar quatro da cidade de Pelotas que atuavam há décadas na metade sul do Estado, especializadas em carnear em média 6 animais bovinos em cada ação criminosa. As quadrilhas, juntas, sempre utilizando carros roubados, eram responsáveis pelo furto na forma de carneada de pelo menos 800 animais bovinos/ovinos na metade sul do Estado.

    – A organização criminosa liderada pelo abigeatário EDSON ROSA, é sem dúvidas a maior organização de abigeato do Rio Grande do Sul que se tem notícia. Essa organização era responsável pelo furto de mais de 1000 animais bovinos por ano, onde, utilizando caminhões boiadeiro, furtavam gado e os levavam direto para frigoríficos, em especial o matadouro Santa Rosa, em Arroio dos Ratos. A organização criminosa de EDSON ROSA foi desarticulada através da operação denominada COOPTARE, que ao longo de 10 meses resultou no cumprimento de 45 prisões preventivas de abigeato.

    Desarticulada uma quadrilha sediada na cidade Pelotas, especializada em furto e estelionato de arroz semente e soja – que atacou cidades da serra, região central e fronteira e gerou prejuízo superior a um milhão de reais a produtores rurais.

    Desarticulada uma quadrilha sediada na cidade de Cacequi, que atuava em toda metade sul do Estado, especializada no furto de defensivos – quadrilha esta que foi responsável pelo maior furto de defensivos agrícolas que se tem notícias nos últimos anos no Rio Grande do Sul. No interior do município de Dom Pedrito, a quadrilha furtou de uma propriedade rural do grupo Dickow, mais de um milhão de reais em defensivos, além de duas caminhonetes Toyota Hilux. O inquérito policial que apurou o fato foi realizado pela Força Tarefa e já remetido ao Poder Judiciário com o indiciamento dos autores do crime que já encontram-se presos preventivamente.

    Veja mais alguns números da Força-Tarefa:

    • 843 animais bovinos recuperados em ações da Força Tarefa;
    • 403 animais bovinos restituídos para vítimas de abigeato;
    • 53 armas apreendidas de indivíduos investigados por abigeato;
    • 11 carros roubados/furtados e utilizados por quadrilhas criminosas recuperados e outros 14 apreendidos por estarem sendo utilizados para crimes no campo;
    • 13 caminhões apreendidos, destes 3 eram clonados;
    • Mais de 15.000 animais bovinos inspecionados em propriedades rurais de indivíduos investigados por abigeato;
    • Mais de 35 toneladas de carne apreendida em investigações.

    Durante o período que vem atuando, a Força-Tarefa já retirou dos criminosos e de suas quadrilhas o equivalente a R$ 6 milhões, entre carros, carne, animais, armas, contêineres, máquinas, caminhões, entre outros.


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009