Assembleia do Corede Campanha define cédula de votação da Consulta Popular 2017/2018

    (Foto: Claudenir Munhoz)

    O Conselho Regional de Desenvolvimento da Campanha (Corede Campanha) realizou, na tarde de ontem, uma assembleia geral para definir os programas regionais que irão constar na cédula de votação da Consulta Popular 2017/2018. O encontro com os representantes dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento (Comudes) ocorreu no salão de atos da Universidade da Região da Campanha (Urcamp). A abertura foi feita pela presidente do Corede e reitora da Urcamp, professora Lia Maria Herzer Quintana.

    Os Comudes realizaram assembleias na última semana – em Dom Pedrito, na sexta-feira (7), quando foram eleitas pela comunidade cinco prioridades que poderiam estar no processo da Consulta Popular deste ano. Na plenária geral, foram discutidas todas as prioridades, a qual resultou na definição de sete programas que vão compor a cédula para votação nos dias 1º, 2 e 3 de agosto. Cada cidadão terá direito apenas a um voto. Entre os sete projetos escolhidos, apenas três serão eleitos para a divisão de R$ 2.554.385, 71, valor estipulado pelo Estado para a região.

    Durante a assembleia, também ficou definida que a distribuição dos recursos para os três programas que serão eleitos pela região será de 35% para o mais eleito, 35% para o segundo e 30% para o terceiro.

    O coordenador da Consulta Popular no Estado, Theonas Baumhardt, enfatizou que é preciso alcançar um percentual mínimo de votos em cada cidade e em cada programa, conforme o número de eleitores, pois há coeficientes para a classificação de votação. Com isso, os municípios recebem o investimento. Se não houver mobilização, a cidade é desclassificada e perde o recurso.

    Lia Quintana destacou, também, que as cidades como Bagé, Caçapava do Sul e Dom Pedrito, que possuem um parecer de eleitores na faixa etária de 10 mil, precisam manter um cuidado para alcançar o índice de votação e classificar o município.

    Segundo o diretor do departamento de Participação e Consulta Popular do Rio Grande do Sul, José Oltramari, ele acompanha o processo e acredita que o recurso destinado no orçamento do Estado possa contribuir no desenvolvimento de cada região. Oltramari alertou, ainda, que é necessário, após a eleição, o encaminhamento dos projetos para que sejam empenhados e liquidados. “Estamos dando menos, mas pagando”, frisou. O diretor esclareceu que, provavelmente, os projetos da Consulta Popular deste ano, após a votação, deverão ser enviados até o fim do ano, pois 2018 será marcado por um período eleitoral e será necessário agilizar o processo.

    O Corede Campanha representa os interesses regionais de Aceguá, Bagé, Caçapava do Sul, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul.

    Programas que estarão na cédula
    • Apoio ao desenvolvimento da agricultura familiar;
    • Apoio à cadeia produtiva ao leite e da pecuária de corte, ovinocultura e agroindústrias;
    • Cultura para promoção da cidadania, valorização da diversidade e inclusão social;
    • Qualificação e financiamento de centros de especialidades ou hospitais;
    • Patrulha e monitoramento contra abigeato;
    • Lixo: um problema ambiental e de saúde pública (catadores);
    • Melhoramento de estradas vicinais.

    Fonte: Jornal Minuano


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009