Alguns bovinos ainda não foram vacinados contra febre aftosa em Dom Pedrito

    O período para vacinação contra febre aftosa terminou na metade do mês de junho, mas nem todos os produtores conseguiram vacinar seus bovinos dentro do prazo estipulado pelos órgãos responsáveis. Durante o mês de maio, dificuldades climáticas impediram os produtores de vacinar, portanto, houve a prorrogação até o dia 16 de junho, mesmo assim, alguns produtores rurais não conseguiram cumprir com a agenda.

    Conforme dados fornecidos pela Inspetoria de Defesa Agropecuária (IDA), coordenada pelo méd. vet. Robson Garagorry da Rosa, o índice vacinal no Rio Grande do Sul, na última atualização, atingiu 98%, enquanto as propriedades chegaram a 95,2%. Em Dom Pedrito, são cerca de 373 mil cabeças a serem vacinadas, destas, 3.900 ainda não receberam a vacina, representando cerca de 60 propriedades.

    Segundo Robson, os produtores rurais que apresentarem as notas com atraso são multados em R$ 1.096,00. Já os produtores que não compraram a vacina dentro do prazo, deverão buscar a autorização junto a Inspetoria. Neste caso, além da multa, ainda há um adicional por animal não vacinado.