Nova bomba instalada pela Corsan deverá dar mais estabilidade no abastecimento

Uma verdadeira operação foi desencadeada para instalar a nova bomba no primeiro recalque, às margens do rio Santa Maria. A primeira parte desta operação foi a recuperação da estrada que dá acesso ao local, muito castigada em função das enchentes que assolaram o município. A instalação do equipamento foi um processo que demandou tempo, já que a bomba fica submersa em um poço.

Segundo Norton Silva, representante da empresa AML, terceirizada da Corsan, a primeira parte do processo de instalação da bomba concentrou-se em dar acesso aos trabalhadores, pois a estrada apresentava péssimas condições de trafegabilidade – foram necessárias algumas cargas de cascalho em trechos específicos da via.

Um caminhão munck (equipado com guindaste) cedido pela 3º Companhia de Engenharia e Combate Mecanizado foi utilizado para transportar e auxiliar no processo que levou a bomba para dentro do poço. Só após isso o mergulhador pôde efetuar a instalação do equipamento – está sendo pleiteada a instalação de uma bomba na superfície, o que facilitaria a manutenção.

O município, até então, era abastecido pela barragem da Serrinha – que era utilizada apenas em casos específicos. Um vazamento, ocorrido na sexta-feira, dia 16, deixou o município desabastecido por mais de 30 horas, em alguns bairros.

Vandalismo e furtos

O local é alvo constante do vandalismo. Paredes pichadas e portas quebradas. Nem a estação pluviométrica escapa da destruição. Segundo funcionários da Corsan, constantemente ladrões furtam fios do local. Flagramos, por exemplo, um fio conector da antiga bomba, com marcas de cortes a facão. Estuda-se a possibilidade de um guarda atuar no local, para manter a área protegida.

O vídeo abaixo mostra alguns momentos do processo de instalação