Compave retoma atividades em 2017 e presidente convoca pais a serem mais próximos dos filhos

    (Geancarlo Loreto Laus, presidente da Compave. Foto: arquivo)

    A Comissão Municipal de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Compave), presidida pelo advogado Geancarlo Loreto Laus, retomou, na segunda-feira passada (19), sua rotina de reuniões mensais com representantes dos segmentos mais diretamente ligados ao objetivo-fim da Compave, como a Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, direções de escolas, entre outros.

    Em Dom Pedrito, através de Lei Municipal sancionada em 2011, a Compave estende sua atuação a oito escolas da Rede Pública Municipal: Tude de Godoy, Duque de Caxias, Alexandre Vieira, Alcides Maia, Argeni Jardim, Bernardino Tatu, Herodiano Arrué e Alda Seabra. Em cada uma delas funciona uma Cipave (Comissão Interna de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar). Cada instituição de ensino procura resolver internamente seus problemas, levando para dentro da Compave as questões mais graves. Dentro da Comissão, se o problema for, por exemplo, de drogadição ou algum outro tipo de violência no entorno da escola, a Brigada Militar já está ali para assumir aquela pauta; se a questão for de evasão escolar, o Conselho Tutelar pode ser acionado, e assim por diante.

    “Temos vontade de intensificar as atividades de maneira que a Compave e as Cipaves cumpram com seus fins, especialmente com maior participação dos pais. Isto em função de certo descontrole que temos hoje na fase da adolescência”, pronuncia-se o presidente Geancarlo, acrescentando que, hoje em dia, é comum a Família transferir para a Escola um papel de formação que é seu por dever. Conclama, assim, os pais a serem mais presentes na educação de seus filhos.

    Já a supervisora da Zona Rural, que representa a Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec) na Compave, professora Cristina Souza, observa que “(…) é importante nisso tudo a prevenção. E que as crianças e adolescentes passem a viver experiências práticas, a vivenciar exemplos nas escolas, que têm mais valor e são mais fortes do que apenas palavras”, manifesta.

    A próxima reunião da Compave será em julho, no salão de atos da Smec, e as datas de cada encontro serão divulgadas na imprensa local. Qualquer segmento da comunidade que deseje colaborar, opinar, reivindicar, enfim, manifestar-se de alguma maneira sobre o tema proposto (acidentes e violência escolar), podem participar dessas reuniões.

    Por: Silvio Bermann

    Jornalista – MTE 18.189