Tarifas de serviços cobrados pela Corsan são questionadas

    Recentemente, um assunto retornou a pauta local, quando o ex-vereador e radialista Nilton Vargas, em entrevista ao Primeiro Jornal da Rádio Upacaraí, concedida na terça-feira (13), falou sobre cobranças indevidas feitas pela Corsan, após alguns clientes realizarem um recadastramento. Entretanto, neste novo contrato ficam estipuladas algumas cobranças, no mínimo, estranhas. A questão inicialmente foi levantada quando ele atuava como vereador.

    A Companhia, segundo o relato, estava enviando duas faturas no mesmo mês para alguns clientes que participaram de um recadastramento. Caso não pagassem, a água poderia ser cortada. “No afã de falar a verdade, dissemos que estavam roubando os usuários, um termo forte, pois como que o cliente vai pagar duas vezes a mesma conta? Aí veio a direção da Companhia para me processar”, relatou o radialista. Nilton diz que na época mostrou as faturas duplas aos advogados, mas nada ocorreu após, nem o processo o qual foi advertido.

    O ex-parlamentar leu alguns trechos do contrato de adesão aos serviços da Companhia, que demonstra algumas incongruências nas taxas de serviço cobradas. “No item número quatro deste contrato, explica que nos casos em que os custos de repavimentação da via pública forem arcados pela Corsan, o cliente deverá ressarcir a Companhia, conforme previsão na tabela tarifária”.

    Vargas explica que da calçada até o interior das propriedades, qualquer problema é de responsabilidade do proprietário, mas segundo o contrato, nestes casos, o morador também teria de arcar com os custos de repavimentação das vias públicas, onde a Corsan precisa abrir para prestar serviços de manutenção. “Segundo o que fica entendido, a Corsan, se for trocar um cano na rua, o morador terá de pagar?”, deixou como questionamento.

    A reportagem tentou contato com a gerência local da Corsan para esclarecer o que foi dito durante o programa, e se as informações eram factuais, entretanto, não conseguimos contato, pois o gerente não estava no município.