Patrulha Rural da Brigada Militar se aperfeiçoa em Livramento, reunindo policiais de diversas regiões do RS

    (Foto: Marcelo Pinto/AP)

    Uma estrutura em ruína, bandidos às escondidas, bombas, barulhos: esse foi o cenário encontrado, nessa segunda-feira (29) por policiais da Patrulha Rural da Brigada Militar para aperfeiçoarem suas táticas e técnicas de enfrentamento de crimes como abigeato e outros tipos de ocorrência no meio rural. As informações são do Jornal A Plateia.

    Brigadianos de todas as partes do Rio Grande do Sul estiveram nos prédios da antiga Swift Armour, no bairro Armour, para se reciclar, recebendo instruções sobre formas de procedimento nas mais diversas situações que podem vir a acontecer nas zonas rurais do Estado. Em pequenos grupos, eles passaram por testes, em uma simulação da realidade que pode ser encontrada durante patrulhas da Brigada ou no atendimento de chamados de ocorrências.

    O treinamento de ontem faz parte de um curso promovido pela Brigada Militar e conduzido em Santana do Livramento, pelo 2º Regimento de Polícia Montada (2º RPMon), durante toda esta semana. O Tenente Ruisdias, do Pelotão de Operações Especiais (POE) do Regimento, passou instruções para os demais colegas. Pela manhã, Ruisdias falou para a reportagem de A Plateia sobre o curso:

    “O curso de Patrulhamento Rural reúne integrantes da Brigada Militar de todas as regiões do Estado. A expectativa é de se formar esses policiais para atuação na prevenção e no combate ao crime de abigeato, contrabando, descaminho. Nesse curso temos várias disciplinas, além do conhecimento que vão ter dos animais”, explicou o Tenente.
    O 1º Sargento Edson Glassmann, do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) da Fronteira Noroeste vê como positiva essa reciclagem dos policiais:

    “São novas técnicas policiais que serão empregadas na fronteira. Temos muito problema com abigeato e arrombamento a casas do interior, então esse curso vem para nos qualificar melhor com novas técnicas e novos empregos. Sempre quando tem esses cursos a gente acaba reciclando, revendo novos conceitos, aperfeiçoando-se com as novas leis e técnicas que vem surgindo por parte dos administradores e dos próprios juristas que vem evoluindo”, destacou Glassmann.

    Jornal A Plateia