Ciranda Cultural de Prendas encerra com baile e premiações

    (Foto: Anderson Ribeiro/FS)

    A 47ª Ciranda Cultural de Prendas encerrou, ontem, na Rainha da Fronteira. A última vez que o evento tinha acontecido em Bagé foi em 1972. Este ano, o município sediou toda a programação, onde mais de 50 municípios e 69 candidatas participaram. Conforme o coordenador da 18ª Região Tradicionalista, Gilberto Silveira, a atividade foi um grande sucesso. No sábado à noite, no Centro Cultural Auxiliadora, foram divulgadas as prendas do Rio Grande do Sul, além de ter sido realizado um baile com o grupo Querência. As informações são do Jornal Folha do Sul.

    Silveira avalia positivamente o evento. “Fomos muito elogiados. Os visitantes agradeceram a hospitalidade e a organização da atividade. Nem o mau tempo atrapalhou. Alojamos 780 pessoas. A rede hoteleira ficou lotada. Isso é excelente para a cidade”, salientou.

    A representante adulta de Bagé, Diéllen Teixeira Godoi Soares, comenta que está há 11 anos no CTG Prenda Minha e que concorreu pela quarta vez. “Dessa vez foi diferente, por ser em casa. As candidatas são muito bem preparadas. Contam com estudos e treinamento. Tenho muito carinho em representar a tradição”, destacou.

    Já o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Nairo Collegaro, afirmou que a Ciranda atendeu todas as expectativas da organização. “Quase 70 prendas estiveram aqui. A comunidade abraçou o evento, seja com a hospitalidade ou emprestando os espaços para realização das provas. O nível das meninas cresceu muito de uns anos pra cá. São de três a quatro anos de estudo para chegar até aqui. Elas são vencedoras. As premiadas sempre são escolhidas por detalhes, porque o nível é altíssimo”, explicou.

    A prenda adulta representante do Rio Grande do Sul escolhida ontem, foi Renata da Silva, que faz parte da 30ª Região Tradicionalista e comentou sobre o título. “É um sonho de 20 anos que estou realizando. É um orgulho representar o Estado e minha cidade”, declarou, emocionada, a jovem.

    Premiadas

    Adulta
    1ª Prenda – Renata da Silva, de Campo Bom
    2ª Prenda- Caroline Scariot, de Lajeado
    3ª Prenda – Natália Rodrigues, de Guaiba
    Juvenil
    1ª Prenda – Isadora Fochi, de São Domingos do Sul
    2ª Prenda- Maria Fernanda Freitas, de Quaraí
    3ª Prenda- Júlia da Silva, de Parobé
    Mirim
    1ª Prenda – Cecília Scholz, de Campo Bom
    2ª Prenda – Gabriela Cavasim, de Rodeio Bonito
    3ª Prenda – Betina de Faria, de São Lourenço do Sul

    Amizade no tradicionalismo
    A amizade consegue ser tão complexa. Desanima uns e anima outros. Mas une laços que podem durar uma vida inteira. No meio tradicionalista, a cumplicidade de amizade vai além da distância. Um exemplo disso é a cirurgiã dentista, Camilla Eidt e o escrevente Magnon Calderon.

    Camila representou na 47ª Ciranda Cultural de Prendas, o CTG Carreteiros da Saudade, da cidade de Pantano Grande. Já Calderon, o peão que a acompanhou na sua apresentação oral e artística, reside na cidade de Cidreira, no litoral gaúcho.

    Ela destacou o prazer de participar de eventos tradicionalistas e o orgulho de cultivar a tradição. “Participo pela terceira vez da Ciranda. Sou primeira prenda da 5ª Região Tradicionalista e é gratificante representar meu município. Estou há 13 anos no CTG, inclusive, minha mãe é patroa da entidade que represento”, ressaltou.
    Calderon, que está envolvido no movimento tradicionalista há 17 anos, reiterou a importância das cirandas. “Nesses eventos vimos a garra e a força de vontade dessas meninas, além do incentivo à cultura. O peão, nesse caso, vem ajudar a abrilhantar a apresentação, mas o  trabalho é todo da prenda. A organização está de parabéns. O evento foi muito bem conduzido”, completou.

     

    Jornal Folha do Sul