Moradores reclamam a falta de iluminação pública

    As fotos foram tiradas ontem (24), por volta das 19h

    Na noite de ontem (24), nossa reportagem entrou contato com os moradores que estão apavorados e com muito medo, pois as ruas Joana de Assis Brasil e Coronel Longuinho, proximidades da APAE, estão completamente as escuras, o que tem facilitado as ações de criminosos na região. Diversos são os relatos de assaltos e arrombamentos por conta da falta de iluminação.

    Uma moradora chegou a postar as fotos em uma rede social. Segundo ela, essa é a realidade naquela região, acrescentando que tem um filho que chega da faculdade tendo que se aventurar na escuridão das ruas. “Infelizmente entra ano, sai ano, muda administração ou não e nada muda. Estamos vivendo momentos difíceis, e para tristeza de todos os moradores estamos ainda na escuridão e pior ainda, estamos sendo alvo de assaltos, arrobamentos e roubos”, explicando também que a Brigada Militar tem feito sua parte, mesmo com o efetivo cada vez menor.

    Ainda conforme informações, uma banca que fica nesta localidade foi arrombada na noite de terça-feira, alertando que recentemente, próximo ao monumento da paz, houve tentativa de assalto, além de arrombamento no trailer próximo ao mini mercado.

    A moradora disse também que uma vizinha entrou em contato com o parque de máquinas solicitando lâmpadas, mas que foi dito pelos funcionários que essa troca não poderia ser feita por eles, pois trata-se de fio de alta tensão, e que seria somente a CEEE que poderia realizar o serviço.

    Em contato com o chefe da agência de Dom Pedrito, Lionso Furtado, ele negou que essa seja uma responsabilidade da empresa. Segundo Lionso, “ocorre que a luminária, segundo argumenta o pessoal do parque de máquinas, é daquelas de braço e está próxima da rede de alta tensão, por isso eles estão com receio de fazer a troca da lâmpada. Mas a troca é responsabilidade da Secretaria de Obras”, acrescentando que uma equipe da CEEE irá verificar a situação, “mas não podemos desligar a rede, deixando quase 800 cliente sem energia, para que seja feita troca de lâmpadas”.

    “Se realmente existir o risco, vamos encaminhar para a equipe que trabalha com a Linha Viva (rede ligada), encaixar para afastar a luminária da rede quando vier a Dom Pedrito para fazer outros serviços”, finalizou Lionso.

    De acordo com o Secretário de Obras, Jorge Vogel, realmente o parque de máquinas não faz a troca em função da rede de alta tensão, atribuindo a responsabilidade neste caso para a CEEE.

    Conversamos também com a chefe de iluminação, Glaucia Santana dos Santos. Ela disse, que “já fizemos o pedido mais de três vezes para a CEEE, porém não foi feito protocolo destas solicitações”, acrescentando que se trata de uma rede viva, e por este motivo somente eles podem fazer a troca.

    Vale lembrar que até o último dia de 2014, eram as próprias concessionárias de energia que cuidavam da manutenção da rede de iluminação pública nas cidades. As empresas que executavam este serviço já possuíam equipes com experiência vasta no setor. Assim, era possível atender às solicitações dos usuários de forma rápida e precisa.

    Mas, a partir do dia 1º de janeiro de 2015, entrou em vigor a resolução da Aneel que transferiu toda a responsabilidade do parque de iluminação pública para os municípios, ficando com autonomia de gerir e prestar toda a manutenção preventiva e corretiva.