Falta de professores: prefeito assina primeiros contratos emergenciais

    (Foto: Departamento de Comunicação)

    Na segunda-feira (22), alunos, professores e pais da escola municipal Herodiano Arrué realizaram um protesto em função da falta de professores em algumas disciplinas. Hoje, quarta-feira (24), o prefeito Mário Augusto assinou o contrato das primeiras professoras chamadas via contratos emergenciais. Havia o temor, conforme o prefeito, de que candidatos representassem com recurso via judicial, travando o processo.

    De acordo com a nota enviada pelo Departamento de Comunicação da Prefeitura, Após o processo de seleção de professores para contratação emergencial, o prefeito Mário Augusto assinou contrato com as primeiras duas professoras, para as áreas de português e matemática.

     As professoras Luciana Rodrigues (Português) e Bruna Guedes (Matemática) devem começar a cumprir suas funções ainda nesta semana nas escolas Alcides Maia e Argeny Jardim, respectivamente. A falta de professor de matemática na Escola Herodiano Arrué será suprida com a professora que estava até o momento na EMEF Argeny Jardim.

     “Com estas duas contratações emergenciais resolvemos parte do problema. Agora, restam os outros dois contratos que estaremos assinando em breve. No próximo ano, obrigatoriamente, teremos que abrir concurso público para cobrir estas vagas com servidores de carreira”, explica o prefeito Mário Augusto.

     O processo seletivo para contratação emergencial de professores incluiu também as áreas de Ciências, Geografia e Ensino Religioso, porém, em função de que duas candidatas classificadas desistiram, as assinaturas dos outros contratos foram atrasadas, mas devem ocorrer no início da próxima semana.

    Como pôde ser lido, o prefeito afirma que no próximo ano, será realizado concurso público pela Prefeitura. Os alunos da escola Herodiano Arrué ainda terão de esperar por docentes nas áreas de Geografia e Ensino Religioso, pelos motivos citados no conteúdo enviado à reportagem.