Fabrício da Silveira Machado é condenado à oito anos por tentativa de homicídio no julgamento mais rápido já ocorrido em Dom Pedrito

    Fabrício da Silveira Machado preso dois após cometer o crime

    Na semana passada, ocorreu a condenação de Fabrício da Silveira Machado. O jovem foi acusado de tentativa de homicídio ocorrido em setembro de 2016. Vale lembrar, que este passa a ser o julgamento mais rápido da história do município, visto que a condenação ocorreu nove meses após o crime, demonstrando uma grande sintonia entre as Polícias Civil e Militar, o Judiciário e o Ministério Público de Dom Pedrito, além de outros orgãos de segurança como Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro).

    O Ministério Público mostrou as provas do crime e fez uso da palavra por cerca de duas horas e meia. Durante o período, sustentou a condenação de Fabrício por tentativa de homicídio qualificado pelo motivo fútil. Já a defesa do réu falou por uma hora, e tentou a desclassificação de tentativa de homicídio para lesão corporal, bem como o afastamento da qualificadora e a absolvição (por clemência). Concluindo os debates, o Juiz da 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito indagou os jurados se estavam habilitados para julgar e, diante da resposta afirmativa, leu os quesitos e explicou a significação legal de cada um.

    Após a votação, foi lida a sentença de Fabrício. Ele foi condenado por tentativa de homicídio qualificada pela motivação fútil. A pena aplicada foi de oito anos de reclusão em regime fechado. Ainda de acordo com a decisão, como Fabrício respondeu a ação penal preso, cuja necessidade foi reafirmada pela decisão da 3ª Câmara ao denegar o habeas corpus, nega-se o desejo de recorrer em liberdade.

    Relembre o caso:

    Na noite de 25 de julho de 2016, por volta das 23h45, um jovem foi esfaqueado no cruzamento da rua Trilha de Lemos com a avenida Rio Branco. O inspetor Patrício Antunes contou que a vítima levou facadas nos braços e foi submetida a procedimentos cirúrgicos na Santa Casa de Caridade de Dom Pedrito, onde permaneceu internado até sua recuperação. A reportagem da Qwerty Portal de Notícias esteve no hospital e conversou com o jovem, que afirmou ter levado diversas facadas. Os golpes de faca foram com tamanha brutalidade, inclusive tendo – o agressor – cortado as artérias e os nervos dos braços da vítima.

    A Polícia Civil prendeu o acusado dois dias após o fato ter ocorrido. Ele foi identificado como Fabrício da Silveira Machado, 20 anos. Os agentes cumpriram mandado de busca na casa de Fabrício logo no início da manhã, quando encontraram as roupas e a faca usava no dia do crime. No dia da prisão, o inspetor Patrício Antunes disse a nossa reportagem, que além da rápida elucidação do fato pela Polícia Civil, pode-se contar também com uma grande agilidade do Poder Judiciário em suas decisões.

    No dia 27 de setembro, Fabrício foi pronunciado pelo Juiz da 1ª Vara da Comarca de Dom Pedrito. A pronúncia ocorreu exatamente 65 dias após a consumação do crime, entre investigações da Polícia Civil, inquérito, denúncia ao Ministério Público e decisão do Judiciário. Certamente, os leitores puderam perceber que a agilidade nestes procedimentos, foram importantes para a diminuição da violência em Dom Pedrito.

    Outros órgãos também foram fundamentais para o controle e a diminuição nos casos de homicídios consumados e tentativas não consumadas, como o forte trabalho ostensivo da Brigada Militar, a atuação de órgãos de apoio a segurança como Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro) de Dom Pedrito, dentre outras atitudes que estão sendo tomadas a fim de tornar a cidade mais segura para todos.