Diretora da escola do Horto pede mais cautela para tratar permanência de Irmã Amélia

    A manifestação que pede a permanência da irmã Amélia Lain em Dom Pedrito, realizada com apoio de alunos, pais, entidades e autoridades do município, durante esta segunda-feira (17), deve ser tratada com mais cuidado, conforme explicou a diretora da escola Nossa Senhora do Horto, Rejane Martins Albrecht, que recebeu a reportagem da Qwerty Portal de Notícias durante a tarde e expôs os motivos de querer mais cautela para tratar do assunto.

    A diretora diz compreender os motivos, mas que há um ano existiu a possibilidade de Amélia ser designada para outra localidade, mas graças à intervenção do educandário, acabou não ocorrendo. Rejane explica que a Escola do Horto faz parte de uma estrutura maior, de uma Congregação (Irmãs Filhas de Maria Santíssima do Horto), assim, o educandário está inserido em um sistema hierárquico.

    Rejane salienta que há seis irmãs em atuação em Dom Pedrito. Perguntada se a participação de pessoas públicas na manifestação poderia prejudicar a instituição no município, ela lamenta que um assunto que deveria ser resolvido internamente (como já foi resolvido ano passado) tenha intervenção externa, vindo de uma autoridade pública.