Provedor da Santa Casa explica que emenda rejeitada ainda pode retornar

    O provedor da Santa Casa do município, Luiz Carlos Moraes Costa, contatou a reportagem da Qwerty Portal de Notícias para explicar sobre a notícia veiculada na semana passada, que dava conta de que uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil, oriunda do gabinete do deputado federal Afonso Motta (PDT), com destinação à Santa Casa, que teria sido rejeitada pelo fato da instituição estar no Cadin.

    Conforme o provedor, que também é vereador pelo PTB, o cargo que ele ocupa na Santa Casa não é remunerado, portanto, não há problemas com o fato de ele ser vereador. Moraes explica sobre a Santa Casa estar no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados (também chamado de Cadin), se deve a uma dívida com a Corsan, que data do ano de 1994. Recentemente, esta dívida foi negociada na Justiça e parcelada, portanto, aponta o provedor, a Santa Casa deverá sair do Cadastro Informativo em breve.

    Moraes salienta que é plenamente possível que a emenda retorne para a Santa Casa, mas, como já explicou a secretária de Planejamento, Luciane Moura, o CNPJ cadastrado será o da Prefeitura, com destinação à Santa Casa, já que entidades filantrópicas, explicou Luiz Carlos, não podem receber emendas diretamente, também, a saúde é municipalizada, portanto, elas devem vir à Prefeitura.

    Existe sim uma boa expectativa, por parte do provedor, para que a emenda retorne à Santa Casa. Ainda, Moraes comentou que tem esperanças que os deputados que estavam presentes na inauguração da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) correspondam com a comunidade pedritense, através do equipamento para a UTI.