Força-tarefa prende médica veterinária e proprietário de abatedouro em Lavras do Sul

    Reprodução/FS

    Uma força-tarefa desencadeada pelo Ministério Público Estadual (MPE), na quarta-feira, prendeu, em Lavras do Sul, uma médica veterinária e um advogado e proprietário de abatedouro, ambos acusados por abate ilegal de animais.

    Conforme divulgado pelo (MPE), o proprietário do frigorífico, Leonardo Krieger Remedi, e a médica veterinária Wanda Berenice Munhoz Martins, foram detidos em flagrante durante fiscalização dos agentes do Programa Segurança Alimentar do Ministério Público e encaminhados à Delegacia de Polícia. Segundo as informações, o abatedouro foi interditado. Carcaças de animais teriam sido encontradas com marcas de marretadas nas cabeças. Um carimbo de inspeção da veterinária foi encontrado no abatedouro sem a médica veterinária estar presente.

    Os agentes da força-tarefa ainda inspecionaram três estabelecimentos comerciais na cidade. Aproximadamente 6,2 toneladas de alimentos tiveram de ser inutilizadas.
    Participaram da operação o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Segurança Alimentar – (Gaeco), Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a promotora de Justiça de São Sepé, Bárbara Pinto e Silva e representantes da Vigilância Sanitária Estadual, Vigilância Sanitária Municipal e Secretaria Estadual da Agricultura (Seapi).

    De acordo com a delegada que responde pelos atendimentos em Lavras do Sul, Carem Adriana Silva do Nascimento, no final do dia de quarta-feira foi lavrado o flagrante dos acusados. “Foi homologado. Porém, os acusados receberam o direito de responder em liberdade, mediante pagamento de fiança”, informa a delegada. Ela ressalta que o valor da fiança foi diferente para cada um dos indiciados. “Para um deles foi quatro salários mínimos e para o outro, dois”, detalha.

    Folha do Sul