Acusado de tentar matar agentes penitenciários é condenado a mais de 13 anos de prisão; réu não esteve presente durante julgamento

    Ontem, segunda-feira (4), foi realizado o julgamento de Anderson Martins dos Santos. Ele foi julgado por tentativa de homicídio, crime ocorrido no ano de 2013, quando o mesmo tentou matar, conforme denúncia oferecida pelo Ministério Público, dois agentes penitenciários no Presídio Estadual de Dom Pedrito, usando um artefato artesanal, felizmente, sem lograr êxito na ação.

    Durante os debates, o Ministério Público sustentou a condenação do réu por tentativa de homicídio, enquanto a defesa, sustentava a absolvição por inexistência do fato. Ainda cabe destacar que o réu não se fez presente no julgamento, uma vez que ele está foragido do Presídio de Carazinho, conforme explicitado na Ata do Júri.

    Anderson foi condenado à 13 anos e 4 meses de reclusão, somada a pena de 47 anos que o mesmo já foi sentenciado por outros crimes, como homicídio e tráfico de drogas.

    Segundo a Ata do Júri, quando cometeu o crime, o réu fingiu estar com dor de estômago, motivo pelo qual ficou agachado, encostado em uma parede, tendo investido contra os agentes quando foi solicitada a revista, mostrando planejamento prévio do ato praticado. Na Ata também consta que Anderson ainda teria investido contra outro apenado.