Novas regras do cartão de crédito começam a valer nesta segunda-feira

    (Foto: Divulgação)

    A partir de hoje, segunda-feira (3), começam a valer as novas regras do cartão de crédito para uso rotativo. Conforme a determinação do Banco Central, os clientes terão restrições para fazer o pagamento mínimo da fatura. A principal mudança é que quem optar por realizar o pagamento mínimo não poderá utilizar opção por vários meses consecutivos.

    Segundo o Banco Central, a regra foi criada para que os clientes não utilizem a modalidade, obrigando os bancos a oferecer mais opções de pagamento para o cartão de crédito, com juros mais acessíveis.

    Na forma como era, para não ficar inadimplente, o cliente precisava pagar ao menos 15% da fatura de seu cartão, o chamado pagamento mínimo, até o vencimento. O restante da dívida ficava para o mês seguinte, gerando juros, assim, o cliente recebia o saldo da dívida do mês anterior, acrescido de juros. Caso não fosse possível pagar o valor integral, o cliente poderia pagar 15% do total, e assim sucessivamente, gerando uma “bola de neve”, um acúmulo que poderia se tornar impagável.

    Com as novas regras, o consumidor que não conseguir pagar sua fatura integralmente, poderá efetuar o pagamento mínimo por apenas um mês. Na fatura seguinte, o processo não poderá ser feito e a instituição bancária deverá oferecer uma foram de pagamento de acordo com as possibilidades financeiras do cliente.

    Assim, ao invés de alongar o pagamento da dívida, o cliente deverá assumir um financiamento de sua dívida, com juros predeterminados pela respectiva instituição bancária. Entre os grandes bancos brasileiros, quatro já anunciaram as taxas que serão oferecidas, todas menores que os atuais juros utilizados no cartão, variando entre 1,99% e 9,99%.

    Mais importante é que os clientes entrem em contato com as instituições bancárias para sanar dúvidas, pois embora as regras regulamentem a questão, cada banco deverá utilizar uma forma distinta para renegociação de dívidas relacionadas a crédito.