Palestras e simulação de acidentes marcam Dia D: Álcool e Direção Não Combinam

Diversas palestras marcaram o Dia D: Álcool e Direção Não Combinam. O evento foi realizado no Sindicato Rural de Dom Pedrito e reuniu um grande número de autoridades locais, como o prefeito Lídio Bastos e o prefeito eleito Mário Augusto Gonçalves. Representando a Brigada Militar, Coronel Laydner, Capitão Patrique Rolim, Sargento Gonçalves; presidente do Consepro, Marcos Brum; Juiz de Direito, Luis Filipe Lemos de Almeida; vereador Dionil Pereira, representando a Câmara de Vereadores; vice-prefeito eleito Alberto Rodrigues; vereadores eleitos; meninas do Leo Clube; coordenador do Samu, Hildalcley Silva e integrantes da 3ª Companhia de Engenharia e Combate Mecanizada.

O diretor do Núcleo de Trânsito, Alex Sander Moreira, apresentou números que chamaram a atenção dos presentes, como por exemplo: acidentes com danos materiais em 2014 foram 126; em 2015, foram 84 e em 2016, até agora, 42 acidentes com danos. Acidentes com lesões corporais: 2014, foram registrados 61; em 2015, foram registrados 57 e em 2016, a Brigada Militar registrou 39 até o momento – o que mostra uma queda drástica neste número. Sobre os casos de embriaguez ao volante: em 2015 foram registrados 33 e em 2016, até o momento, 14. O trânsito é o segundo colocado nas causas que mais matam no Brasil, perdendo apenas para ataques cardíacos.

O capitão Patrique Rolim, comandante do 4º Esquadrão da Brigada Militar de Dom Pedrito, falou também sobre o trânsito em Dom Pedrito e apresentou números de autuações. mostrando outra queda muito grande neste ano em relação ao ano de 2015. Veja:

2015

Dirigir sob influência de álcool (art. 165) – total de 03 autuações;
Recusa ao tese do etilômetro (art. 277) – total de 27 autuações;
Dirigir sem ser habilitado (art. 162) – total de 178 autuações;
Permitir pessoa não habilitada a dirigir (art. 164 c/c 162) – total de 142 autuações.

2016

Dirigir sob influência de álcool (art. 165) – total de 01 autuação;
Recusa ao tese do etilômetro (art. 277) – total de 10 autuações;
Dirigir sem ser habilitado (art. 162) – total de 48 autuações
Permitir pessoa não habilitada a dirigir (art. 164 c/c 162) – total de 34 autuações.

Representando a OAB, o advogado Valdemar Mancilhas encerrou o evento falando sobre a história do automóvel, os primeiros acidentes ocorridos no mundo e a trágica mistura entre álcool e bebida. Mancilhas apresentou um estudo feito na primeira década deste século, sobre o que leva ao elevado índice de acidentes nas rodovias brasileiras e a causa impressiona. Segundo ele, as melhorias nas rodovias é o motivo que mais leva a acidentes. “Aqueles Estados que tiveram uma melhoria, porque? Pois o motorista brasileiro ama velocidade”, declara o advogado.

Quatro meninas integrantes do Leo Clube participaram da simulação de um acidente em frente ao Sindicato Rural, pela avenida Rio Branco, quase esquina com a Barão do Upacaraí. O Samu foi acionado e realizou o socorro das duas vítimas e mais a motorista que, nesta simulação, se passou por uma jovem sem habilitação e embriagada. O fato chamou a atenção da população que passava pelo local. A Brigada Militar também se fez presente, controlando o trânsito.