6º Rpmon realiza reunião junto a sindicatos da região para discutir abigeato

    (Foto: Gabriel Bueno)

    Na tarde de segunda-feira (3), o presidente do Sindicato Rural de Dom Pedrito, Dr. Luiz Augusto Gonçalves de Gonçalves, participou de uma reunião promovida pelo 6º Regimento de Polícia Montada (Rpmon) em Bagé. A reunião também contou com a participação de presidentes e representações de sindicatos da região, além de capitães da Brigada Militar dos municípios de abrangência do Rpmon.

    O tenente coronel Sérgio Alex Laydner Medina explicou o motivo da reunião, marcada para discutir a questão do abigeato – inclusive, durante a reunião, a maioria dos produtores presentes disse já ter sido vítima do crime. Medina também salientou que existem problemas com o efetivo, que está reduzido, assim como infraestrutura deficitária, ambas questões são problemas que atingem tanto Brigada Militar quanto Polícia Civil.

    A palavra foi aberta aos presentes, muitos realizando críticas ao trabalho realizado pela Brigada. Entretanto, o tenente coronel diz compreender a indignação perante o estado de coisas, mas enfatiza que a corporação precisa responder a uma série de atribuições diante da comunidade; e com efetivo reduzido, muitas vezes a demanda de serviços é alta.

    O presidente Luiz Augusto falou sobre a reunião do dia 22/9 que ocorreu em Dom Pedrito, buscando formalizar, entre os sindicatos, um grupo de apoio à Força Tarefa de Combate ao Abigeato. “A união dos sindicatos é necessária, a Força Tarefa vem fazendo um trabalho maravilhoso na região, mas eles precisam de nós. Não podemos apenas criticar ou apontar as falhas, precisamos auxiliar de alguma forma”, explanou o presidente.
    Outra reunião será marcada para os próximos dias. Um cinturão está se formando na região, que deverá fornecer apoio financeiro às forças de segurança, garantindo uma estrutura mínima para que as operações sejam realizadas. O coronel Medina destacou que a Brigada Militar está empenhada, dentro do possível, para que o crime seja combatido e coibido. “O abigeato não causa só transtornos econômicos aos pecuaristas, mas a saúde das pessoas que consomem esta carne, sem saber a procedência”, reconhece.

    Curso de formação de soldados na região
    O capitão Augusto Porto destacou que está sendo tratado com as instâncias superiores a instalação de um curso de formação de soldados da Brigada em Bagé. Os soldados que seriam formados aqui, permanecendo, senão a totalidade, a maioria na região, fortalecendo o efetivo local. “Atualmente, a falta de efetivo tem sido um de nosso principais entraves”, diz Porto.