CEEE Distribuição deverá ter redução de tarifas em novembro

    A partir de 22 de novembro, as tarifas de energia elétrica da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE Distribuição) passarão por mudança nos valores. Isso é consequência da revisão tarifária da empresa, trabalho coordenado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    De acordo com informações do órgão regulador, divulgadas pela assessoria de comunicação do grupo CEEE, a tarifa deverá ter uma redução média para os clientes de 12,18%. Tal índice, ainda de acordo com a assessoria, é resultado da metodologia da agência, que divide a estrutura da tarifa de energia elétrica das concessionárias em duas faixas de valores: Parcela A e Parcela B.

    Na primeira, constam os custos não gerenciáveis da empresa, entre eles: compra de energia, encargos de transmissão e encargos setoriais. A Parcela B refere-se aos itens que podem ser gerenciáveis pela empresa, incluindo os custos administrativos, operacionais e de manutenção, além do patrimônio. Uma audiência pública presencial ocorreu na quinta-feira, em Porto Alegre, para coletar dados e opiniões dos clientes atendidos pela concessionária no Estado.

    Entenda
    A assessoria divulgou, também, um exemplo: um cliente que tenha, hoje, um consumo de 100 kWh (quilowatts/hora), paga uma conta de R$ 75,14, com a tarifa vigente. Desse valor, cerca de R$ 9,56 é a receita tarifária apropriada pela Companhia.

    O restante é repassado para os geradores, transmissores, Aneel, ONS, Eletrobras, além do pagamento de impostos para os governos estadual e federal. Após a Revisão Tarifária, considerando a proposta prévia da Aneel, essa fatura terá seu valor reduzido para R$ 64,91. Deste montante, a CEEE-D poderá se apropriar de R$ 11,44. É importante registrar que mesmo o valor da conta caindo, a Distribuidora fará jus a uma parcela maior do faturamento.

    Segundo texto enviado pela assessoria, em termos práticos, esses valores premiam cliente e empresa porque, no caso da CEEE-D, “houve uma inversão de pesos, resultado da evolução apresentada pela concessionária especialmente no último ano, com melhoria nos indicadores técnicos e evolução nos investimentos realizados”, explica a nota.

    “Técnicos da área de regulação da CEEE Distribuição explicam que a Parcela B será positivamente reajustada graças ao aumento da taxa de remuneração de capital e, principalmente, aos investimentos em ativos elétricos efetuados no período 2012-2016, que agregaram diversos ativos (subestações, linhas e equipamentos) ao patrimônio da empresa”, completa.

    O presidente do Grupo CEEE, Paulo de Tarso Pinheiro Machado, destacou, durante a audiência pública, o empenho que está sendo feito pela gestão para reverter uma situação que era bastante desfavorável à Companhia. “No ano passado ocupávamos, entre todas as 64 concessionárias do país, o 60º lugar, segundo a Aneel.

    Fomos chamados para apresentar um Plano de Resultados sob o risco de perdermos a concessão. Hoje, passados 20 meses de trabalho, recebemos o bom retorno da Aneel, de que fomos a empresa que mais evoluiu nos seus indicadores e estamos entre as oito concessionárias que surpreenderam a agência nos seus resultados”, disse.

    Já o diretor de Distribuição do Grupo CEEE, Júlio Hofer, detalhou a recuperação do passivo de investimentos da empresa, com ênfase em 14 novas subestações e 11 linhas de transmissão agregadas ao sistema da Companhia, além da construção de redes de média e baixa tensão e de um programa de manutenção preventiva junto aos municípios da área de concessão e que ajudaram na reversão dos indicadores técnicos.

    Folha do Sul