Reunião busca formar rede entre instituições para auxiliar no combate ao abigeato

    Gabriel Bueno

    Na manhã de ontem (22), o Sindicato Rural de Dom Pedrito recebeu, em seu salão nobre, representantes de sindicatos da região, Exército Brasileiro, Brigada Militar, Secretaria de Agricultura e Força Tarefa de Combate ao Abigeato. A reunião foi elaborada para formar uma rede de auxilio a Força Tarefa, para que continue no combate ao crime na região e desmantelando quadrilhas responsáveis pelo crime.

    A mesa redonda foi formada, onde cada qual teve a oportunidade de expor os problemas locais. No caso dos sindicatos, de falar sobre os trabalhos desempenhados no caso das forças de segurança. O delegado que atualmente coordena a Força Tarefa, Adriano Linhares, explicou a forma de atuação da mesma, bem como sua área de abrangência. “Nosso trabalho tem sido feito, mesmo com alguns problemas de infraestrutura, abrangendo a região de São Luiz Gonzada até Pelotas. Sabemos das regiões mais críticas, que são na Campanha e Fronteira Oeste, e temos conhecimento da forma de atuação dos criminosos”, explica.

    Durante a reunião, os casos mais graves expostos foram em três municípios: Candiota, Pinheiro Machado e Cacequi. Nestes três locais, conforme explicaram os presidentes, o abigeato tem atingido patamares alarmantes – inclusive com estabelecimentos comerciais de grande fluxo de clientes comprando a carne roubada – explicaram. Também, outra dificuldade está na atuação das inspeções sanitárias, que acabam não agindo com o rigor necessário para coibir os compradores e intimidar os criminosos.

    O delegado Adriano destacou a nova lei do abigeato, que pune toda cadeia do crime, que vem dando um novo ânimo para que as operações sejam realizadas.

    Por outro lado, o comandante regional da Brigada Militar, tenente coronel Sergio Alex Laydner Medina, que está a frente do comando a pouco mais de 60 dias, salientou que até o momento, diagnosticou o abigeato como um dos problemas mais graves enfrentados na fronteira, por isso, colocou-se a disposição para auxiliar a Força Tarefa naquilo que for possível à Brigada Militar; a mesma disposição foi posta pelo capitão da Brigada Militar de Dom Pedrito, Patrique Rolim.

    Também foi cobrado, pela unanimidade dos presentes, maior envolvimento do governo do Estado nestas questões; entretanto, a criação da Força Tarefa, mesmo com os problemas apurados, é tratado como um bom começo. O próximo passo será levar as questões até a Farsul e apresentar os dados ao Executivo estadual, que atualmente analisa demandas da segurança pública local, elaboradas durante as reuniões do Grupo de Segurança Pública do Sindicato Rural.

    Ficou acertado, também, a criação de um fundo com os sindicatos da região para apoiar as ações das forças de segurança, em especial a Força Tarefa. Para o presidente do Sindicato Rural de Dom Pedrito, Dr. Luiz Augusto Gonçalves de Gonçalves, a reunião foi exitosa, pois mostra que os sindicatos estão unidos para combater o crime buscando, além do Executivo estadual, a Justiça em casos mais graves, onde há conivência dos poderes públicos municipais com a situação.

    A Força Tarefa enfrenta problemas para alocar os animais recuperados (onde os donos dos animais não são encontrados) bem como transporte para operações, que em algumas ocasiões precisam ser feitos a cavalo, por serem em locais de difícil acesso. Durante a reunião foi garantido que estes problemas serão superados.

    Participaram da reunião o presidente do Sindicato de Dom Pedrito, Dr. Luiz Augusto, juntamente com a vice-presidente, Isadora Hermann Pötter; o delegado da Força Tarefa, Adriano Linhares; os inspetores de polícia Patrício Antunes e Valter Luiz; pela Brigada Militar o Tenente Coronel e Comandante Regional, Sérgio Alex Laydner; o capitão Patrique Marques Rolim e o sargento Marco Aurélio Gonçalves; pelo Exército Brasileiro, o diretor do Campo de Instrução Barão de São Borja, Tenente Coronel Claudio Henrique Brasil Laurindo; o presidente do Sindicato Rural de Rosário do Sul, Ayrton Marçal; presidente do Sindicato de Cacequi, Darlan Vieira e seu vice, André Garcia Rossi; representando o Sindicato Rural de Bagé, Luciano Gonçalves; o presidente do Sindicato Rural de Pinheiro Machado, Gabriel Camacho juntamente de seu vice, Max Soares Garcia. Representando o Sindicato Rural de Quaraí, Sylvio Martins da Silva; o presidente do Sindicato Rural de Candiota, Marco Domingues; representando a Secretaria de Agricultura, Antônio Ferreira Neto e Robson Garagorry da Rosa; representando o Conselho Comunitário Pró-segurança Pública (Consepro), Alex Schardong e o produtor rural e ex-presidente do Sindicato Rural de Dom Pedrito, Valter José Pötter.


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009