Consulado em Bagé é o primeiro do Estado a implantar projeto para emissão de documentos

    Cônsul do Uruguai, Mario Liori

    Um projeto piloto implantado em Bagé pelo governo uruguaio, habilitou o consulado daquele país a encaminhar a confecção de passaportes e carteiras de identidade na Rainha da Fronteira. O órgão diplomático foi o primeiro no Estado a implantar o sistema que será expandido para toda a fronteira do País. Até agora, foram encaminhadas 10 solicitações.

    De acordo com o cônsul, Mario Liori, antes, as pessoas tinham que ir até o Uruguai para encaminhar a documentação, e agora o novo sistema facilitou o processo. O diplomata lembra que a renovação do documento de identidade também pode ser feita no órgão.

    Segundo Liori, o tempo entre o encaminhamento e entrega dos documentos depende da vinda do malote do Uruguai e, demora de 30 a 40 dias. O cônsul esclarece que podem fazer os documentos filhos e netos de uruguaios. A estimativa é que o número de pessoas gire em torno de cinco a sete mil. “É necessário comprovar a descendência através da certidão de nascimento dos pais ou avós, dependendo do caso”, frisa.

    O diplomata conta que o primeiro passaporte foi entregue na semana passada para o descendente uruguaio Nelmar Urrutia. Liori argumenta que todo o processo é eletrônico e o sistema é interligado com a Direção Nacional de Identidade Civil, órgão ligado ao Ministério do Interior. O prédio está localizado na rua Marechal Deodoro, 150.

    Jaqueline Muza/Jornal Minuano