Aneel quer cancelar concessão da fase A da CGTEE em Candiota

    22/setembro/2016 às 14h39min
     Atualizado sexta-feira, dia 23 de setembro de 2016 às 01h06min

    A Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) está preparando recurso administrativo com argumentação técnica para reverter o pedido de cancelamento da fase “A” da Usina Presidente Médici, em Candiota, solicitado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    A agência propôs a caducidade há duas semanas, antes do embargo da companhia pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por descumprimento às leis ambientais, que gerou multas de R$ 75 milhões.

    Conforme documento enviado para a CGTEE, a superintendência dos serviços de fiscalização da Aneel alega que não há mais condições de manter em operação a unidade onde estão em atividade duas turbinas instaladas na década de 70. Após analisar o desempenho do maquinário, a Aneel identificou uma série de falhas na estrutura.

    A fase A tinha previsão de ser desligada em dezembro de 2013, por causa da vida útil do maquinário, mas a Eletrobras conseguiu ajustar um termo de conduta ampliando a data para 31 de dezembro de 2017.

    Por meio de nota, a CGTEE informa que está preparando documentos dentro dos parâmetros exigidos para reverter o pedido de caducidade apresentado pela Aneel. Também informa que estão sendo tomadas todas as medidas necessárias para manter o empreendimento em operação dentro dos padrões técnicos e ambientais mínimos exigidos, a fim de seguir com as operações até dezembro de 2017.

    Jaqueline Muza/Jornal Minuano