Frigoríficos estão evitando comprar gado pedritense devido à condição das estradas vicinais

    As péssimas condições de nossas estradas vicinais também estão causando problemas com o transporte de gado para os frigoríficos. As empresas não estão querendo mais transportar gado pelas diversas lesões causadas aos animais devido aos buracos nas estradas.

    O transporte do leite também está comprometido, com muitos produtores registrando perdas significativas. Quando chove, as estradas ficam intransitáveis por, no mínimo, dois dias, impossibilitando, também, o transporte de pessoas doentes.

    Os produtores rurais auxiliam como podem, entretanto, eles não estão mais dando conta. Este ano, com as chuvas e a impossibilidade de escoar a safra, mesmo nos dias com tempo favorável, a situação foi deflagrada.

    Um grupo foi criado no aplicativo de mensagens WhatsApp para apurar os problemas e reivindicações, e também onde queixas são reportadas. A infraestrutura do município está comprometida, onerando trabalhadores, produtores, estudantes e demais usuários das estradas rurais.

    O que dizem os responsáveis pelos frigoríficos:

    Raul Cardoso, diretor de produção do frigorífico Boa Esperança de Santo Antônio da Patrulha, disse a nossa reportagem, que “o maior problema enfrentado é justamente as péssimas condições das estradas da região de Dom Pedrito, que faz com que o gado se debata dentro do veículo que está transportando os animais, criando hematomas, que são constatados no frigorífico”, ainda de acordo com Raul, este problema dificulta a comercialização da carne, principalmente costelas e quartos.

    “Em função disso, começamos a sugerir para o nosso corretor de gado que fosse evitado, dentro do possível, a compra dos animais desta cidade, em função da péssima qualidade das estradas atualmente”, disse o diretor de produção.

    “Nosso transporte hoje é todo terceirizado, e eles também reclamam das condições das estradas. Nós compramos gado de Dom Pedrito há quase 25 anos, e nunca se passou por uma situação tão grave como esta. Quando melhorarem as condições de trafegabilidade, com certeza voltaremos a comprar, pois o gado é de muita qualidade”, finalizou Raul, acrescentando que a empresa não está deixando de comprar, mas nesse momento está evitando, assim como outros frigoríficos.

    Já Diego Schossler, diretor de produção do frigorífico Kroth de Venâncio Aires, disse que “para carregar hoje, em Dom Pedrito, é muito complicado; e com chuva então, nem se fala. Até em dias secos estamos tendo problema com as estradas, pois o gado tem chegado com muitas lesões em função das condições de transporte”.

    “Além disso, os animais ficam quase seis horas a mais no caminhão e temos que, muitas vezes, baldear eles para fora com trator e tudo vira em lesão, o que representa perda para a empresa”, disse Diego.

    O diretor de produção da Kroth finalizou dizendo que “posso te falar que quem carrega hoje em Dom Pedrito está tendo problemas, e nós, num período chegamos a carregar 80% a 90% para o abate mas, atualmente, esse número caiu para 35% a 40%, no máximo, pois estamos evitando por causa das condições de trafegabilidade”, relata, concluindo que a empresa compra gado pedritense há mais de 20 anos, e que além de espetacular, é um dos melhores do Estado. Só que hoje está ficando inviável, pois está causando muitos prejuízos para todos.